Viagem

No alto da Serra do Mar, a bela vila histórica de Paranapiacaba encanta os turistas

MARCEL VINCENTI

Colaboração para o UOL Viagem

10/07/2009 15h37

Assim como o antigo relógio que a representa, a vila de Paranapiacaba é uma bela imagem do tempo. "Lugar de onde se vê o mar", em tupi-guarani, seu nome remete a um dos principais episódios da história de São Paulo: a construção, no século 19, do primeiro sistema ferroviário do Estado.
  • Marcel Vincenti/UOL

    Construído em Londres no século 19, o relógio Johnnie Walker Benson é o símbolo da vila de Paranapiacaba, ao lado da igreja Bom Jesus de Paranapiacaba


O empreendimento iria conectar o interior paulista ao porto de Santos. O café, já apreciado em outros países, deixaria de ser transportado ao litoral em lombo de mula. E Paranapiacaba seria uma consequência do progresso: surgiu no topo da Serra do Mar, ponto de transição entre o planalto e a baixada, como centro operacional da nova estrada de ferro.

Apesar de seu entorno tropical, a vila ganhou feição britânica. Os ingleses da São Paulo Railway Company (SPR) - empresa que construiu a ferrovia nos anos 1860 e a explorou até 1946 - trouxeram para o meio da Mata Atlântica um pouco da terra da rainha. A torre do relógio Johnnie Walker Benson, fabricado em Londres, e hoje símbolo local, é eloquente em sua engenhosidade. Paranapiacaba seria um eco da Revolução Industrial e, um século mais tarde, se tornaria modelo único de cidade histórica no Brasil.

Histórias inglesas

Atualmente, a vila abriga cerca de 1,4 mil habitantes. Eles vivem nas casas centenárias, e tombadas, que cresceram junto com a estrada de ferro. A paisagem urbana é exótica e, não à toa, atraiu em 2008 aproximadamente 200 mil turistas (a metade deles durante o Festival de Inverno, realizado no mês de julho).

Paranapiacaba é dividida pela ferrovia em suas seções: Parte Baixa, onde estão as residências construídas inicialmente para os funcionários da SPR, e a Parte Alta, zona de relevo ocupada, no final do século 19, por comerciantes e prestadores de serviço. Cada uma delas tem seu próprio caráter e, apesar de vizinhas, ostentam grandes diferenças urbanísticas e arquitetônicas.

CALENDÁRIO DE EVENTOS DA CIDADE

MarçoDia Mundial da Água
Por ocasião do dia ecológico são organizadas visitas especiais ao Núcleo Olho DŽAgua, localizado dentro do Parque Municipal Nascentes de Paranapiacaba
AbrilFestival do Cambuci
Evento cultural e gastronômico realizado em homenagem à fruta típica da região. São realizados shows de importantes músicos brasileiros (neste ano esteve presente Zé Geraldo)
JunhoConvenção de Bruxas e Magos
Evento esotérico que, neste ano, foi realizado nos dias 13, 14 e 15 de julho. É organizado pela Universidade Holística Casa da Bruxa
JulhoFestival de Inverno de Paranapiacaba
Realizado nos fins de semana do mês de julho, é o principal evento da vila. Conta com apresentações de grandes músicos brasileiros e mostras de cinema
AgostoFesta do Padroeiro do Bom Jesus de Paranapiacaba
Trata-se da festa religiosa mais antiga de Santo André e tem como foco a igreja Bom Jesus de Paranapiacaba, construída no século 19
SetembroEncontro de Motos Clássicas
Reúne donos e admiradores de motos como Harley Davidson e Triumph

Volta Ciclística Internacional do Grande ABC
Evento que reúne ciclistas de várias paragens, sua largada do ano passado foi em Paranapiacaba. O trajeto cruza os sete municípios do Grande ABC


Na Parte Baixa, um dos destaques é a vila Martin Smith. Trata-se de um bairro planejado, de traçado octogonal, pontuado por casas padronizadas de madeira cercadas por aprazíveis jardins. Os ingleses construíram as residências em escala hierárquica: há desde os galpões reservados para os ferroviários solteiros até a mansão do engenheiro-chefe, erigida no alto de uma colina, de onde ele podia observar toda a área.

Nos galpões de alvenaria também localizados na Parte Baixa, encontram-se interessantes museus que contam um pouco da trajetória local. No Museu Ferroviário, por exemplo, o visitante pode conhecer a tecnologia usada para tracionar os trens em seu árduo percurso pela Serra do Mar. Paranapiacaba situa-se a 800 metros acima do nível do oceano e, nesses registros históricos, é impossível não admirar a façanha que foi conectar, com trilhos, o planalto paulista ao porto de Santos.

E a história pode ser vivenciada: nos fins de semana e feriados, os turistas embarcam em vagões puxados por uma maria-fumaça de 1867, e dão um passeio rápido, à maneira old school, pelas linhas de Paranapiacaba.

Mas o legado britânico não se estende apenas ao universo ferroviário. A vila abriga um dos campos de futebol mais antigos do Brasil, aberto no final do século 19, onde, reza a lenda, jogou Charles Miller (ele próprio um ex-funcionário da SPR). E um fato histórico orgulha hoje muito dos habitantes locais: naquele gramado, em julho de 1925, o Serrano Atlético Clube, time formado aqui em 1903, derrotou o Corinthians por 2x1.

Paranapiacaba, entretanto, não é feita apenas de reminiscências inglesas. Sua Parte Alta ostenta paisagens parecidas a outro canto da Europa. Ocupado por considerável número de imigrantes portugueses, o bairro pode muito bem lembrar algum subúrbio de Lisboa. Suas vielas íngremes, revestidas com paralelepípedos, acolhem casinhas coloridas de alvenaria e varais com roupas à mostra. E no topo da colina, surge a igreja Bom Jesus de Paranapiacaba, edificada por volta de 1889, quando o Brasil tornava-se república.

Trilhas e cultura

Além de suas construções históricas, Paranapiacaba oferece uma ampla variedade de atrativos aos turistas. Situada dentro da Reserva da Biosfera do Cinturão Verde de São Paulo, a vila abriga o Parque Natural Municipal Nascentes, uma área verde com quatro milhões de m², onde pratica-se caminhadas ecológicas e esportes como arborismo, rapel e cicloturismo.

O local também é grande celeiro de eventos culturais. O mais importante deles, o Festival de Inverno, que sempre conta com grandes nomes da música brasileira, é realizado nos fins de semana do mês de julho. Mas também há opções mais exóticas, como o Festival do Cambuci, no mês de abril, e a Convenção de Bruxas e Magos, no mês de junho (veja outros eventos da cidade na tabela acima).

Paranapiacaba pertence hoje a Santo André e está a menos de 50 quilômetros do centro de São Paulo. É um destino fácil, acessível e com boa infra-estrutura: oferece quase duas dezenas de pousadas e ótimos restaurantes de comida caseira, localizados dentro de belas casas históricas e cercados pelo verde vicejante da Mata Atlântica. Embora esteja com a moldura um pouco enferrujada, a vila continua a ser uma bonita obra-de-arte.

COMO CHEGAR


Por incrível que pareça, é impossível ir de trem à Paranapiacaba nos dias que correm. O sistema ferroviário da vila só está aberto ao transporte de cargas. A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), porém, pretende inaugurar, num futuro próximo, um trem turístico que parta da Estação da Luz, no centro de São Paulo, e vá até Paranapiacaba. Enquanto a ideia não sai do papel, as únicas opções de transporte são carro e ônibus (é possível ir de trem até a metade do caminho). As informações abaixo são da prefeitura de Santo André.

Ônibus
Linha 040 - Paranapiacaba, da Viação Ribeirão Pires, parte do Terminal Rodoviário de Santo André (TERSA).

Trem / Ônibus
Embarcar na linha D da CPTM (Luz-Rio Grande da Serra) e descer em Rio Grande da Serra. Ao lado da estação passam ônibus que vão até Paranapiacaba (Viação Ribeirão Pires).

Carro
Seguir pela Via Anchieta até o km 29, entrar na SP 148 (estrada velha de Santos) até o km 33 e pegar a rodovia SP 31 até o km 45,5. Entrar, então, na rodovia SP 122, que vai até Paranapiacaba.
  • Marcel Vincenti/UOL

    Nos galpões do Museu Ferroviário é possível admirar a tecnologia usada para tracionar os trens no acidentado percurso da Serra do Mar



ONDE FICAR


Paranapiacaba oferece boas opções de hospedagem. Há desde as acomodações mais tradicionais, como a Pousada do Artista e a Pousada Shamballah, até hospedarias mais simples (as famosas "bed & breakfast" - cama e café da manhã). As diárias de fim de semana variam de R$ 70 a R$ 120 (o casal). Mas atenção: os preços podem subir consideravelmente durante o Festival de Inverno.

Hospedaria Os Memorialistas - Avenida Fox, 525, tel: (11) 4439-0194

Pousada do Artista - Rua William Spears, 41, tel: (11) 4439-0437

Pousada Estrela da Manhã - Caminho do Mendes, 322, tel: (11) 4439-0128

Pousada Paluan - Rua Campos Sales, 401, tel: (11) 4439-0060

Pousada Shamballah - Rua Rodrigues Alves, 471, tel: (11) 4439-0574

Bed and Breakfast Bela Vista - Rua Rodrigues Alves, 38, tel: (11) 4439-0278

Bed and Breakfast Caminho das Pedras - Rua Nova, 15, tel: (11) 4439-0133

Bed and Breakfast Cantinho do Sossego - Caminho do Hospital Velho, 304, tel: (11) 4439-0035

Bed and Breakfast Castelo dos Sonhos - Rua Alfredo Maia, 499, tel: (11) 4439-0178

Bed and Breakfast Hospedagem Floral - Rua Rodrigues Alves, 37, tel: (11) 4439-0306

Bed and Breakfast Maranata - Avenida Fox, 448, tel: (11) 4439-0351

Bed and Breakfast Pousada dos Anjos - Rua Alfredo Maia, 509, tel: (11) 4439-0490

Bed and Breakfast Vila Nova - Rua Nova 13, tel: (11) 4439-0156

ATRAÇÕES

Centro de Informações Turísticas (CIT)Além de dar orientação sobre os passeios históricos da vila, indica as agências de turismo ecológico que operam em Paranapiacaba (Vale lembrar que as trilhas só podem ser feitas com acompanhamento de monitores ambientais. Uma trilha de duas horas, para grupo de seis pessoas, custa, em média, R$ 10,00). Largo dos Padeiros, s / n ° - Parte Baixa. Tel: (11) 4439-0237
Museu Tecnológico FerroviárioApresenta a tecnologia empregada no sistema ferroviário da Serra do Mar e objetos históricos da São Paulo Railway Company e das empresas que a sucederam. Aberto aos sábados, domingos e feriados, das 9 às 16hs. Entrada: R$ 3,00
Relógio da EstaçãoSímbolo de Paranapiacaba, o relógio foi construído em Londres no século 19. Foi removido de seu lugar original após uma das antigas estações de Paranapiacaba pegar fogo
Passeio de maria-fumaçaA centenária locomotiva leva turistas para um rápido passeio pelos trilhos de Paranapiacaba. Funciona aos sábados, domingos e feriados, das 10 às 17hs. Preço: R$ 6,00
Antigo MercadoConstruído em 1899, esse galpão de alvenaria e madeira abrigou um empório de secos e molhados. Hoje, hospeda eventos culturais e gastronômicos
Museu CasteloAntiga casa do engenheiro-chefe da vila ferroviária, o Museu Castelo, ou "Castelinho", como é chamado pelos locais, destaca-se sobre uma colina na Parte Baixa de Paranapiacaba e abriga exposição sobre a história da vila. Aberto de terça a domingo, das 9 às 16hs. Entrada: R$ 2,00
Clube União Lyra SerranoInaugurado em 1938, a partir da fusão das agremiações Clube Sociedade Recretiva Lyra da Serra e Serrano Atlético Clube, o local, de interior elegante, abriga hoje concertos e exposições
Campo de Futebol Charles MillerConsiderado um dos primeiros campos de futebol do país, foi palco, no início do século passado, de jogos dos times de Paranapiacaba contra Santos e Corinthians

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Viagem

Topo