36 Horas em Burlington, Vermont: Eclética, cidade dá ênfase ao que é local

KATIE ZEZIMA

New York Times Syndicate

  • Divulgação/Crow Bookshop

Não causa surpresa o fato de Burlington, uma cidade cujas maiores exportações são a banda Phish e o sorvete Bem & Jerry's, ter uma vibração fria, socialmente consciente. Mas apesar de seu lado cosmopolita - há abundância de protestos antiglobalização e produtos fairtrade (comércio justo) - Burlington recentemente voltou a atenção ao que é local. As margens do Lago Champlain passaram por uma renascença nos últimos anos, com novos hotéis reluzentes, lojas de aluguel de bicicletas e veleiros e parques com amplas vistas das Montanhas Adirondack. Mas talvez a ênfase mais forte ao que é local pode ser encontrado na cena de restaurantes em desenvolvimento, onde os cardápios agora estão repletos de tomates heirloom e carne de gado alimentado com capim de Vermont. E você praticamente é obrigado a acompanhar esses pratos com o produto de uma microcervejaria local.

Sexta-feira



16h30 - Caminhar, olhar e comprar

Com sua mistura eclética de estudantes, ativistas, artistas, famílias e professores (a Universidade de Vermont fica aqui), Burlington é interessante para quem gosta de observar as pessoas. Faça isso no Church Street Marketplace (2 Church Street), um amplo corredor de quatro quadras que é o centro social da cidade e que conta com mais de 100 lojas e restaurantes. O ritmo é lento, sem pressa e lotado, então reserve bastante tempo para explorar. Entre no Sweet Lady Jane (40 Church Street; 802-862-5051; www.sweetladyjane.biz) para roupas e acessórios femininos da moda; no Frog Hollow (85 Church Street; 802-863-6458; www.froghollow.org) para conferir os tesouros criados por artistas de Vermont; e na Lake Champlain Chocolates (65 Church Street; 802-862-5185; www.lakechamplainchocolates.com), onde o chocolate quente serve como refeição, e desafiamos você a comer pelo menos uma trufa.

19h30 - Chianti chique

Há muito conhecida pelas batatas fritas com molho, pizzas e outros itens básicos universitários, Burlington ganhou uma enxurrada de restaurantes de luxo nos últimos anos. O L'Amante (126 College Street; 802-863-5200; www.lamante.com) ajudou a liderar a investida. Se alguém pegasse a Toscana e a salpicasse com Vermont, o resultado seria este cardápio farto e crocante. Experimente a bruschetta de abobrinha local (US$ 10) e o New York strip (contra-filé grelhado) com feijão branco, tomate e acelga (US$ 27). Ele é elegante e a meia-luz, mas de um modo informal, apesar da cara carta de vinhos que pende bastante para os tintos italianos.

22h - Cerveja cafeinada

Divulgação/Radio Bean
Estar no Radio Bean é como ouvir uma banda na festa de um amigo
Se há três coisas que Burlington faz bem, é música ao vivo, cerveja e café. O Radio Bean (8 North Winooski Avenue; 802-660-9346; www.radiobean.com), um bar café com paredes de tijolo aparente cobertas com obras de artistas locais, tem todos os três. É como ouvir uma banda na festa de um amigo, caso seu amigo morasse em um loft ridiculamente bacana. Experimente o Five Dollar Shake, uma mistura brilhante de cerveja preta, café espresso e xarope de bordo que atende ao seu desejo de beber cerveja e permanecer acordado ao mesmo tempo. E, sim, custa US$ 5.

Sábado



9h - Força do pedal

Atividade ao ar livre, seja em encostas de esqui, trilhas para caminhadas ou lagos, é um modo de vida em Burlington, de forma que não causa surpresa o fato das bicicletas serem um meio de transporte popular. Alugue uma bicicleta em uma das muitas lojas como a North Star Sports (100 Main Street; 802-863-3832; www.northstarsports.net), a partir de US$ 18 a hora ou US$ 28 por dia. Para aqueles que desejam ver a cidade, ciclovias marcadas facilitam o passeio, mas suas ladeiras íngremes farão seus músculos pensarem o contrário. Ao longo do lago, entretanto, é basicamente plano, como cerca de 1.800 quilômetros de trilhas que cruzam até Nova York e o Canadá. Mapas estão disponíveis em www.champlainbikeways.org.

13h - Cervejas levíssimas

Há uma alta probabilidade de que o American Flatbread Burlington Hearth (115 Saint Paul Street; 802-861-2999; www.americanflatbread.com) esteja lotado de gente, de crianças a fãs de cerveja, quando você chegar lá. Mas não entre em pânico; apenas peça uma das cervejas Zero Gravity (gravidade zero) da casa - ela é especializada em estilos belgas. Os pães chatos crocantes, assados em um forno a lenha, são basicamente pizzas de massa fina com azeitonas kalamata, pimentões vermelhos, queijo de leite de cabra, alecrim e cebolas roxas (US$ 9,75 por um individual; US$ 16,95 por um que pode alimentar duas pessoas).

Divulgação/ECHO
O ECHO Lake Aquarium explora a importância científica, ecológica, cultural e histórica do lago Champlain
GUIA DE NOVA YORK
VEJA FOTOS DE LOS ANGELES


15h - Monstros e naufrágios

O Lago Champlain não é apenas o que torna Burlington tão pitoresca. Ele é um imenso ecossistema que abriga um dos recifes de coral mais antigos do mundo e centenas de espécies de peixe e plantas. O ECHO Lake Aquarium and Science Center (no Leahy Center for Lake Champlain, 1 College Street; 877-324-6386; www.echovermont.org) explora a importância científica, ecológica, cultural e histórica do lago com exposições interativas, incluindo o que restou de um velho naufrágio e uma instalação que dá aos visitantes um novo respeito pelos sapos. As crianças se divertirão trabalhando em um caixa recriada de escavação paleontológica, e os adultos se maravilharão com o que o lago oferece. O centro até mesmo explora o maior mistério do Lago Champlain: Champ, o monstro do lago, é um mito ou é real? Tente avistá-lo do mirante no segundo andar.

17h - Nenhuma página não virada

Ler e reciclar são formas de arte em Burlington, e nenhum lugar combina ambos melhor do que a Crow Bookshop (14 Church Street; 802-862-0848; www.crowbooks.com). Caminhe pelo piso de madeira que range e folheie um tesouro de livros usados e raros e as sobras de estoque das editoras, que variam de guias de jardinagem a cópias usadas, mas bem cuidadas, de Shakespeare. Deixe as crianças explorarem a parte delas da loja enquanto você se senta em uma das poltronas e folheia um velho manual.

20h - Paris em Vermont

Em uma cidade onde o estilo é mais inspirado pelas sandálias Birkenstocks do que pelas bolsas Birkin, o Leunig's Bistro (115 Church Street; 802-863-3759; www.leunigsbistro.com) representa um toque francês bem-vindo. Com seus candelabros de querubins, cabines aconchegantes e jantar ao ar livre, ele continua sendo um centro social. Peça o tradicional bife Bourguignon (US$ 24) ou deixe as coisas mais picantes com os escalopes ao curry amarelo e tangerina (US$ 25).

22h30 - Dançando

Siga o baixo pulsante ao Red Square (136 Church Street; 802-859-8909; www.redsquarevt.com), um clube noturno amistoso que atrai os jovens clubbers e aqueles que gostam de música. Bandas ao vivo geralmente tocam na primeira metade da noite ou, quando o tempo permite, no pátio ao ar livre. O fim de noite é reservado aos D.J.s que tocam hip-hop, rock e reggae para os universitários trajando tops, camisetas e gorros. Se quiser algo mais suave, vá ao Nectar's (188 Main Street; 802-658-4771; www.liveatnectars.com), o clube onde a banda Phish começou. Sem interesse por música ao vivo? Vá ao Green Room (86 St. Paul Street, 802-651-9669) para a saideira em um sofá confortável.

Domingo



11h - Ovos verdes ou tofu

Prefere tofu no lugar de ovos mexidos? Experimente o Magnolia Bistro (1 Lawson Lane; 802-846-7446; www.magnoliabistro.com), onde ovos podem sempre ser trocados por tofu e granola caseiro está no cardápio. Para os comedores de carne, há um sanduíche de filé com queijo cheddar (US$ 9) e um sanduíche de frango com estragão (US$ 8,50). O Magnolia também alega ser um dos restaurantes melhores para o meio ambiente de Burlington, o que significa que deve ser muito, muito verde. De fato, tudo é reciclado, e é o único ponto na cidade que conta com certificado da Associação dos Restaurantes Verdes.

PAUL O. BOISVERT/NYT
Quem precisa de um relógio de pulso quando há o Burlington Earth Clock?
GUIA DE NOVA YORK
VEJA FOTOS DE LOS ANGELES


13h - Casa na árvore

Não sabe que horas são? Descubra no Burlington Earth Clock, um relógio de sol de 13 metros de largura, no Oakledge Park and Beach (fim da Flynn Street), feito de lajes de granito das pedreiras locais. Fique no meio e olhe na direção das montanhas; as pedras diante de você representam onde o Sol se põe durante os equinócios e solstícios. No outro lado do parque fica uma casa de árvore do tamanho de um estúdio, suspensa entre nove árvores grandes. É uma fantasia de infância transformada em realidade.

O Básico



Burlington fica a uma curta viagem de avião e a uma bela viagem de carro de Nova York. A Delta e a JetBlue possuem vôos diretos do Aeroporto Kennedy para Burlington; a Continental decola de Newark; e a US Airways e a United partem de La Guardia. As passagens de ida e volta para novembro custam a partir de US$ 171, dependendo do fim de semana. A viagem de carro pela bela Rota 7 leva pouco menos de seis horas.

Burlington é uma cidade que, mesmo com tempo ruim, é melhor quando percorrida a pé, apesar dos hotéis mais baratos se encontrarem nos arredores da cidade. Se for de carro, há abundância de lugares para estacionar, mas estacionar na rua pode ser difícil quando os bancos de neve ficam mais altos.

O sem frescura Anchorage Inn (108 Dorset Street; 802-336-1869; www.vtanchorageinn.com) fica próximo do aeroporto e é ótimo para famílias com orçamento limitado, oferecendo piscina e uma área para piquenique e churrasco nos fundos. Diárias a partir de US$ 45,95.

O Courtyard by Marriott Burlington Harbor (25 Cherry Street; 802-864-4700; www.marriott.com/btvdt), oferece fácil acesso à Church Street. Quartos a partir de US$ 169.

O próximo Hilton Burlington (60 Battery Street; 802-658-6500; www.hilton.com) é outra boa opção, apesar dos quartos poderem ser pequenos. Como o Marriott, ele fica diante do Lago Champlain. Diárias a partir de US$ 170.

Tradução: George El Khouri Andolfato

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos