Nova Alitalia inicia operações com atrasos e protestos

Da Ansa

ROMA, 13 JAN (ANSA) - A nova Alitalia iniciou suas operações nesta terça-feira com um atraso de cerca de 20 minutos em seu voo inaugural, entre as cidades de Palermo e Roma, além de uma série de protestos de funcionários nos aeroportos milaneses de Linate e Malpensa.

O Airbus 320, que deveria deixar a capital da ilha da Sicília às 6h10 locais, decolou apenas às 6h30 com 159 passageiros a bordo. A aeronave apresentava as cores da companhia Air-One, uma das integrantes do consórcio de empresários responsáveis pelo resgate da Alitalia.

Quem esperava anúncios históricos da cabine de comando da aeronave no momento da decolagem ficou desiludido. O comandante do voo, Massimiliano Canterini, de 41 anos, limitou-se a dizer: "Bem-vindos ao AP 2853 Alitalia-Air One com destino a Fiumicino".

"Estou emocionado, mesmo esta estréia tendo me pego de surpresa. É um pouco como quando, nos desenhos, você entra em uma loja e te comunicam que você é o milésimo cliente e venceu um prêmio. Hoje, a sorte quis que eu estivesse aqui", disse Canterini.

O segundo voo da nova companhia aérea, adquirida em dezembro passado por um consórcio de empresários italianos reunidos sob a sigla Companhia Aérea Italiana (CAI), decolou do aeroporto milanês de Malpensa com destino ao aeroporto de Cumbica, em Guarulhos. A aeronave, um Boeing 777 com capacidade para 290 pessoas, decolou com apenas 64 passageiros a bordo.

No aeroporto de Fiumicino os primeiros balcões de check-in da nova Alitalia já estavam abertos antes das 5h locais para atender os cerca de 80 passageiros do voo da companhia com destino à cidade de Buenos Aires, um Boeing 777/200 com capacidade para 291 passageiros, que registrou um atraso de cerca de 30 minutos.

Os atrasos nos primeiros voos não deixavam muito confiantes os passageiros sobre uma considerável melhora nos sérvios da Alitalia, como demonstrou um empresário embarcando em um voo com destino ao aeroporto milanês de Linate: "espero que a CAI funcione melhor e que dê um serviço profissional, sobretudo que os horários sejam respeitados. Pois, o problema da Alitalia, sobretudo nos últimos tempos, era o da pontualidade".

"Esperamos que funcione, ainda que eu confio na Air France mais que na CAI, pois não acredito que a CAI sozinha possa ir em frente, enquanto com os franceses poderá ser seguramente um futuro", disse, por sua vez, o empresário Adriano Antonelli, que viajou na primeira ponte aérea entre Milão e Roma.

O início das atividades da nova Alitalia também foi marcado por uma manifestação de funcionários nos aeroportos de Malpensa e Linate, onde foram registrados atrasos e cancelamentos de voos devido a uma assembléia convocada pelos trabalhadores. Os protestos em parte estão relacionados ao fato de que o plano de resgate da companhia também prevê um corte de 3.250 funcionários e a não renovação de cerca de dois mil contratos temporários.

Segundo o presidente da Alitalia, Roberto Colaninno, os protestos que acompanham o início das atividades da nova companhia serão provavelmente "os últimos" e se referem "uma mínima parte dos problemas enfrentados do ponto de vista sindical".

Nessa última segunda-feira foi anunciado que a direção da Alitalia aceitou a oferta apresentada pela companhia aérea franco-holandesa Air France-KLM para a compra de uma cota de 25% das ações da companhia italiana. O acordo entre a Alitalia e a Air France-KLM prevê um investimento de cerca de 322 milhões de euros. (ANSA)

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos