Moscou, um programa 24 horas com um bom livro ou dois

SOPHIA KISHKOVSKY

New York Times Syndicate

  • James Hill/NYT

Há quinze anos, procurar por diversão de fim de noite em Moscou significava rodar por ruas escuras e vazias --apenas as torres do Kremlin eram bem iluminadas-- em busca de clubes misteriosos e festas divulgados apenas boca a boca.

Agora, Moscou parece ser mais 24 horas, 7 dias por semana, do que Nova York. De supermercados a salões de beleza 24 horas, sem contar os cassinos e restaurantes perpetuamente abertos, a capital russa tem tudo. Há até congestionamentos de trânsito às 4 horas da manhã, freqüentemente envolvendo Maybachs e Porsches diante de clubes noturnos.

Mas o fim do Dyagilev, um dos pontos noturnos mais decadentes da cidade, em um incêndio épico no início do ano, pode ter sido um sinal de que interesses mais civilizados estavam disponíveis. Atualmente, os descolados e abastados estão fazendo justiça ao amor histórico da Rússia pela literatura, freqüentando livrarias 24 horas como a Respublica, uma nova rede com uma loja 24 horas (Pervaya Tverskaya-Yamskaya Ulitsa, dom 10; 7-495-251-6527; www.respublica.ru, apenas em russo) a cerca de 1,5 quilômetro rua acima do Kremlin. Respublica é uma idéia de Vadim Dymov, um ex-oficial militar que virou rei da salsicha e que agora voltou sua atenção para a cultura.

Às 3 horas de uma madrugada recente, imensas janelas de vidro laminado ofereciam uma visão ofuscante do interior branco intensamente iluminado da loja. A Bookberry, outra rede de lojas 24 horas, possui uma livraria vizinha, tornando o quarteirão um distrito para fãs insones de livros.

A Respublica oferece de tudo, do mais recente best seller de Sergei Minaev, a resposta russa a Brett Easton Ellis, à tradução russa do mais recente romance de Norman Mailer, "O Castelo na Floresta". No segundo andar, livros de mesa luxuosos estão expostos em vitrines e prateleiras. Os assuntos variam de ícones russos ao livro de fotografia africana de Leni Riefenstahl, que custa 123.300 rublos, ou cerca de US$ 5.230 com o dólar cotado a 24 rublos.

Se o seu gosto vai além de livros, cheque os blocos de notas e cadernos Moleskine com encadernação impermeável (Hemingway os usava e os russos amam Hemingway), ou uma variedade arco-íris de cachecóis e camisas pólo American Apparel. Em uma recente madrugada de sábado, os clientes incluíam uma mãe com seu bebê, jovens vestidos em estilo hip-hop e uma mulher usando botas de couro com salto agulha.

Se tanto folhear livros deixar você com fome, vá ao Starlite Diner (Ulitsa Bolshaya Sadovaya dom 16; 7-495-290-9638; www.starlite.ru), dois quarteirões ao sul, para um pit stop no meio da noite. Repleto de Americana dos anos 50 --capas de revista "Life", uma jukebox e propagandas de Pontiac-- este é um lugar para um hambúrguer caubói por 325 rublos e cerveja Miller, que pode ser consumida ao som de Elvis, Beatles e Monkees.

Então é hora de voltar para a noite de Moscou. Ou melhor, manhã.

Tradução: George El Khouri Andolfato


Divulgação

Praga


Uma vez por mês, música alta e pulsante dentro de um bonde que circula pela madrugada da cidade

Ler matéria


Yannis Kolesidis/NYT

Atenas


À noite, o Parthenon brilha como uma jóia e o monte Lycabettus sedia animados clubes e bares da capital grega

Ler matéria


Jonathan Player/NYT

Londres


A madrugada no mercado de Covent Garden mostra que a noite da capital britânica vai além dos clubbers e punks

Ler matéria


Jakob Dall/NYT

Copenhague


Ao cair da noite, a cidade dá adeus ao estereótipo de certinha e permite que sua vida noturna floresça

Ler matéria


Maria Luisa Stock/UOL

Berlim


Sem restrições de público, o Clärchens Ballhaus reúne de jovens modernos a casais de meia idade na capital alemã

Ler matéria


Richard Harbus/NYT

Paris


No anoitecer da Cidade Luz, uma visita a um tradicional clube de bilhar, com direito a gin fizz e brandy

Ler matéria


Dave Yoder/NYT

Veneza


A beleza misteriosa da cidade italiana se acentua na madrugada, quando as ruas se tornam desertas e silenciosas

Ler matéria


Ed Alcock/NYT

Lisboa


Na bela capital portuguesa, casas de fado mantêm a tradição reverberando música pela madrugada

Ler matéria


Steafno Buonamici/NYT

Barcelona


O mítico absinto é o drink oficial do Marsella, o bar mais antigo da badalada e notívaga metrópole espanhola

Ler matéria


Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos