Viagem

Buenos Aires torna-se pólo do turismo "gay friendly" na América Latina

Roger Modkovski/UOL
Imagem: Roger Modkovski/UOL

Da Ansa

15/02/2008 19h23

Depois da crise de 2001, a Argentina rapidamente conquistou uma posição importante no setor turístico e tornou-se pólo de turismo "gay friendly", oferecendo a cidade de Buenos Aires como espaço aberto à comunidade homossexual.

Diferente de outras capitais, ela não tem um bairro dedicado exclusivamente ao público gay (como o Marais de Paris, o Chueca de Madri, ou o famoso Village, em Nova York), mas coloca à disposição dos turistas homossexuais uma cidade inteira.

Em uma reportagem publicada há alguns dias pela revista argentina Veintitres, sugestivamente intitulada "Buenos Gayres", confirma-se que agora a cidade "é a capital latino-americana do setor".

"Estima-se que, em 2007, pelo menos 400 mil visitantes gays percorreram os pontos de atração turística da cidade, deixando uma quantia --nada desprezível-- de US$ 600 milhões", informava a revista.

A oferta de turismo homossexual na capital argentina se especializou rapidamente. Recentemente, Buenos Aires ganhou o primeiro hotel gay de luxo da América Latina, da rede espanhola Axel, que abriu as portas para o publico em outubro de 2007. Depois dos hotéis, os restaurantes e as salas de dança de tango também se diversificaram, transformando-se em iniciativas ainda mais originais.

Outros exemplos são os cartões "Friendly Card", que dão descontos em mais de 120 lojas de Buenos Aires e as festas jovens organizadas para gays, como a dos famosos garotos Plop da geração "gay 2.0", que reúne até duas mil pessoas em festas à fantasia temáticas. Até mesmo uma linha de vinhos "fortemente sensuais" foi lançada pela Pilot.

Além disso, Buenos Aires oferece grandes oportunidades em estética, com institutos e clínicas que fazem publicidade em meios de comunicação claramente destinados à comunidade homossexual. Sem falar da oferta editorial de revistas e guias temáticos, facilmente encontrados nas bancas de jornal e inúmeras livrarias da cidade.

Cruzeiro Infinity

Após passar pela costa do Brasil e Uruguai, o cruzeiro Infinity, que a cada ano viaja pela América Latina com turistas da comunidade gay norte-americana, adentrou no Rio da Prata com 1.450 passageiros, o dobro das duas temporadas precedentes, segundo a agência estadunidense Atlantis.

Considerado um transatlântico de luxo, o Infinity, de bandeira das Bahamas e pertencente à armada Celebrity Cruises, possui 80% de suas cabines com vista para o mar (abrigando 1.950 pessoas na posição privilegiada) e 74% dos quartos têm pelo menos um terraço.

Uma vez no país, parte dos turistas voltará aos Estados Unidos de avião, mas a maioria deve continuar sua viagem na capital da Argentina, aproveitando as ofertas atraentes para o público gay. Os organizadores do cruzeiro esperam um número maior de turistas para o próximo verão, enquanto a administração de Buenos Aires aguarda mais turistas e mais lucro nesse setor turístico da capital portenha.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Viagem

Topo