Ex-quartel iugoslavo tomado por ativistas e artistas vira complexo alternativo na Eslovênia

KATIE KITAMURA

New York Times Syndicate

  • Filip Horvat/NYT

Às 21 horas -cedo para os padrões do bairro- uma multidão animada já estava reunida no pátio de Metelkova City, um ex-complexo de alojamentos militares no coração de Liubliana, a capital da Eslovênia. Vestidos de forma variada como neogóticos e punks, muitos na multidão seguravam cigarros e bebidas enquanto permaneciam em meio a esculturas e murais, aguardando pelo início das atividades da noite.

Dentro do Menza, um dos sete clubes em Metelkova City, bandas se aqueciam para o início das apresentações, às 22h30. Entre as atrações estavam Jack Wright e Andrew Drury, uma dupla de free jazz de Nova York; o Anatrofobia, um trio italiano que toca música eletrônica ambiente; e o Belgrade Noise Society, uma banda noise cujos membros são sérvios e eslovenos.

Natasa Serec, que dirige o Menza, se gabava do pequeno clube: "De dia nós realizamos oficinas para crianças, ensinando desde malabarismo até edição de vídeo. À tarde, nós temos ensaio de teatro. E, à noite, é o único lugar em Liubliana onde se pode ouvir tantos tipos diferentes de música".

Uma zona cultural autodeclarada autônoma, Metelkova City é uma coleção desorganizada de prédios que abrigam clubes noturnos, galerias, organizações sem fins lucrativos e estúdios de mais de 50 artistas. Os velhos alojamentos militares agora estão cobertos de grafite e esculturas.

O pátio possui um playground que, apesar de parecer um risco à segurança, é uma instalação de arte que contém inovações como um móbile de latas de lixo, de autoria do artista Marko Kovacic, que possui um estúdio em Metelkova City.

Faça você mesmo

Por toda a parte, a ênfase é tanto na utilidade quanto na estética, um mantra para Metelkova City, cuja história complicada dita esta postura "faça você mesmo" e reflete a trajetória tumultuada da própria Eslovênia.

Antes pertencente ao Exército Nacional Iugoslavo, o quartel foi abandonado após a retirada dos militares e a declaração da independência eslovena em 1991. Em 1993, um grupo de artistas e ativistas ocupou Metelkova City, os mais de 12 mil metros quadrados que correspondem à parte norte do complexo, gradualmente transformando o quartel em um importante centro político e cultural. Hoje, ele abriga os únicos clubes gays e lésbicos de Liubliana (Klub Tiffany e Klub Monokel), uma sociedade de deficientes físicos e várias organizações não-governamentais.

"Este local é uma grande experiência", disse Serec. "É uma grande mistura de arte e espaço público. Nós temos clubes, galerias e instalações de arte -até mesmo bibliotecas anarquista e lésbica."

Filip Horvat/NYT
Albergue Celica, cujo prédio era uma prisão militar; muitos quartos são antigas celas
Metelkova City também mantém um relacionamento ambíguo com a prefeitura, que é dona da propriedade. No passado, equipes de demolição eram enviadas regularmente para despejar os ocupantes, resultando em fortes protestos. Em 2006, um prédio foi demolido pelas autoridades sob forte objeção dos ativistas comunitários. Os fiscais continuaram realizando batidas nos clubes, que não possuem licença para venda de álcool, mas a cidade dá apoio financeiro às atividades culturais em Metelkova City.

"A situação está um pouco em obras", disse Sasa Nabergoj, diretora-assistente do Centro de Arte Contemporânea de Liubliana, cujo escritório fica em Metelkova 6, um prédio ocupado legalmente ao lado de Metelkova City. "Metelkova é uma zona cinzenta. O que existe é um sistema levemente anárquico, onde, se as pessoas têm uma idéia, elas podem fazê-la."

Metelkova City é sinônimo de cultura alternativa. E, apesar da palavra "alternativa" ter perdido parte de seu valor em toda parte, no caso de Metelkova City seu significado é bastante específico.

"Ela se refere a um período da cultura eslovena nos anos 80", disse Nabergoj. "Um momento social e visual em que alto e baixo foi desmontado e surgiu uma plataforma para direitos sociais."

Museus em duas zonas

No momento, a área está se tornando uma mistura intrigante. Os antigos alojamentos são divididos em duas zonas: Metelkova City ao norte; e o setor sul, que é de propriedade do governo nacional e está sendo transformado em um aglomerado de museus de grande escala.

A parte sul atualmente conta com o Museu Etnográfico Esloveno e uma divisão do Museu Nacional da Eslovênia deverá ser inaugurada neste ano. Ela também conta com uma praça pública impressionante, completa com fontes modernistas e curvas de concreto. O Museu de Arte Moderna de Liubliana também pretende inaugurar um prédio em 2009, que muitos esperam que servirá de ponte cultural entre Metelkova norte e sul.

Zdenka Badovinac, diretora do Museu de Arte Moderna, está desenvolvendo um programa que permitirá ao museu colaborar tanto com outros museus quanto com os diversos artistas e organizações independentes de Metelkova City.

"Metelkova é atualmente um distrito de museus, mas composto de uma forma interessante e inesperada. Isto é bem esloveno", disse Badovinac. "É possível ter o ambiente mais experimental ao lado das principais instituições. E, como instituição, nós podemos fazer coisas bem radicais. Nós não estamos sob as mesmas limitações e ainda podemos experimentar."

Os prédios originais do museu nacional e do museu etnográfico foram refeitos como estruturas agressivamente contemporâneas com fachadas de vidro, mas Badovinac está ansiosa para reformar o prédio destinado ao Museu de Arte Moderna de uma forma que preserve a história de Metelkova.

"O senso de passado recente está nos prédios", ela disse. Um sentimento crucial para o programa do museu, que realizou várias exposições importantes de arte do Leste Europeu.

Celeiro de jovens curadores

Andrej Savski, um artista conceitual e membro da Irwin, a coletividade eslovena de artistas conhecida internacionalmente, e que já expôs na Bienal de Veneza e na bienal européia Manifesta, trabalha em um estúdio em Metelkova 6. Ele descreveu Metelkova City como um local de treinamento para jovens curadores e disse ser parcialmente inspirado na cena de arte do East Village, Nova York, dos anos 80.

"É algo que toda cidade precisa", ele disse. "A possibilidade de happenings urbanos em um contexto mais informal. Se os empreendedores imobiliários viessem e os artistas fossem expulsos, a situação real se perderia, o charme do que está aqui. Eu fico feliz quando vejo a criatividade, quando veja que as opções estão abertas."

Entre os jovens curadores está Jadranka Ljubicic, diretora da galeria Alkatraz. Situada ao lado de um grande mural exibindo uma réplica de "Davi", de autoria de Bostjan Drinovec, um artista de Liubliana, a Alkatraz é uma galeria pequena não diferente de seus pares em Nova York e Londres. Ela só abre à noite -das 21h à meia-noite- assim como outro projeto de galeria de Metelkova City, uma exposição rotativa no clube Channel Zero, que só pode ser visitada no horário de funcionamento do clube.

"Aqui a vida só começa à noite", declarou Ljubicic rindo.

Alkatraz começou como um espaço básico administrado pelo artista, mas lentamente se desenvolveu em um programa ambicioso mais de acordo com um centro público de artes, contando atualmente com um programa internacional de residência de artistas, eventos públicos e palestras, assim como comissões de artistas.

"É sempre uma obra em progresso", disse Ljubicic. "Nós estamos sempre atualizando. Eu a vejo como algo vivo. Todo dia está se transformando."

Ela disse que isso não vale apenas para sua galeria, mas também para a própria Metelkova City, e está louca para ver como a próxima geração transformará o bairro.

"Historicamente, Metelkova começou como um local para os jovens", ela disse. "Era um local onde os jovens sentiam que podiam vir e ter certo grau de liberdade. É importante que permaneça assim."

Um bairro em um caos feliz


Onde Ficar
O albergue Celica (www.souhostel.si) é uma ex-prisão militar com 29 quartos, muitos deles antigas celas, a partir de 16 euros por pessoa, ou menos de US$ 25 com o euro valendo US$ 1,52.

Onde Ir
O sete clubes em Metelkova City são o Klub Monokel (www.klubmonokel.com), Klub Tiffany (www.ljudmila.org/siqrd/tiffany), Channel Zero (www.ch0.org), Menza Pri Koritu (www.metelkova.org/menza), Gala Hala (www.galahala.com), Gromka (www.metelkova.org/gromka) e 100% Mizzart (www.mizzart.net). Para maiores informações consulte www.metelkova.org.

Galerias e Museus

A galeria Alkatraz (www.metelkova.org/alkatraz), o Museu Etnográfico Esloveno (www.etno-muzej.si) e o Museu Nacional da Eslovênia (www.narmuz-lj.si).

Tradução: George El Khouri Andolfato

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos