Paso Robles, na Califórnia, é um dos destinos mais recentes para degustadores de vinho

LOUISE TUTELIAN

New York Times Syndicate

Peter Dasilva/NYT
Degustação na vinícola Clautiere,
em Paso Robles
"Prove este", disse Martha Clyde, gerente da Sculpterra Winery and Sculpture Garden em Paso Robles, Califórnia, enquanto servia um cabernet sauvignon 2005 vermelho-castanho em uma tarde dourada de outono. "Foi o primeiro vintage que lançamos." Neil Young cantava de forma suplicante ao fundo enquanto uma dúzia de provadores amadores cheiravam, giravam o copo e bebiam. A sala de degustação era nova, disse Clyde, concluída no final de outubro.

Do lado de fora, um grupo de amigos da vizinha Atascadero, que tiraram o dia para degustar vinhos após o encerramento do período de colheita, realizavam um piquenique próximo de uma coleção de esculturas encomendadas pelo dono da vinícola, Warren Frankel, um médico de Paso Robles. Mais de uma dúzia de obras grandiosas em granito branco e bronze em tom dourado de autoria de John Jagger reluziam ao Sol -um cavalo pinoteando, um puma espreitando, um tarpão com esqueleto exposto- alguns com mais de 7,5 metros de altura.

"Nós temos pão e queijo, uma boa garrafa de cabernet", disse um dos visitantes, Lee Snyder, 59 anos, que se mudou recentemente de Orange County, ao sul de Los Angeles. "Bem, ao menos eles têm", ele disse, apontando para os colegas de piquenique. "Eu fui nomeado motorista."

Divulgação
Cena de "Sideways", filme que chamou atenção para a região vinícola
VEJA O TRAILER DO FILME
A Sculpterra é uma das mais novas vinícolas em uma dos destinos mais recentes para degustadores de vinho. A região de vinho que mais cresce na Califórnia, Paso Robles conta com quase 170 vinícolas, em comparação a apenas 35 há 10 anos. E desde que o filme "Sideways: Entre Umas e Outras" expôs o segredo há três anos, a região da Costa Central decolou. Para cinéfilos com apreço por bons vinhos, foi uma revelação. O filme, que mostrava dois amigos em uma viagem de degustação de vinhos e exame de consciência, se passava mais ao sul, mas as belas paisagens do filme convidavam a um olhar mais atento para toda a área, e atualmente a grande novidade na Costa Central é Paso Robles.

Vários vinhos de Paso Robles ficaram em posições de honra em rankings nacionais e internacionais e o crítico de vinhos, Robert M. Parker Jr., escreveu na edição de outubro da revista "Food & Wine": "Eu acredito que a região já apresenta o potencial mais notável de toda a Califórnia". Há tantas salas de degustação que um visitante é capaz de beber um fim de semana prolongado inteiro (a maioria das vinícolas abre de quinta a segunda-feira); daí as limusines brancas estacionadas em algumas delas, incluindo uma com a placa "Lush 2" (rico ou bêbado). Algumas das vinícolas, como a Eberle e J. Lohr, são grandes e conhecidas. Outras são empreendimentos pequenos, de propriedade familiar, como Villicana e Pipestone.

Mas você não precisa ser enólogo para apreciar as colinas, os altos carvalhos dourados, as cercas brancas em volta dos cavalos quarto de milha, os céus patrulhados por falcões-de-cauda-vermelha. O centro de Paso Robles, com sua praça, coreto, lojas, restaurantes e um cinema com 10 salas, é uma boa base para um fim de semana de exploração sem pressa. E há amplo agriturismo, um termo um tanto seco para atividades tão agradáveis como provar azeites de oliva e comprar ervas frescas e produtos agrícolas em fazendas e mercados.

A comunidade agrícola simples do século 19 de Rancho Paso de Robles (rancho passo dos carvalhos em espanhol) conta com fontes naturais de águas sulfurosas, quentes. Entre aqueles que a colonizaram estava Drury James, tio do bandido Jesse James, que buscou extrair o máximo delas. A Southern Pacific Railroad chegou em 1886 e com seus trens os clientes da nova casa de banho. Logo surgiu um hotel, casa de ópera, estábulo e sala de leitura. (As histórias da cidade revelam que Paso, como é chamada pelos moradores locais, também teve sua cota de bordéis e saloons.) Os abastados vinham pelas fontes medicinais e um bom número comprava terras. Hoje, os hóspedes do Paso Robles Inn que fazem reserva no spa com banheira quente ao ar livre ainda podem se banhar nas águas supostamente medicinais se puderem suportar o cheiro de enxofre, que ocasionalmente pode ser sentido pela cidade.

À medida que fazendeiros e rancheiros se voltaram para as mais lucrativas uvas e azeitonas, a natureza da cidade inevitavelmente mudou, disse Barbara Lewin, que é dona do Blenders, uma loja de roupas no centro há 34 anos. O terremoto de San Simeon de 2003, cujo epicentro foi a 38 quilômetros dali, também afetou a cidade. "Foi um de 6,6 (de magnitude) e todos os prédios vieram abaixo", disse Lewin. Entre as estruturas que foram erguidas no lugar deles estão o novo e chique Hotel Cheval de tema eqüestre, com arquitetura de pedra e madeira e móveis antigos.

Com tantas vinícolas, como escolher quais visitar? É possível visitar os lugares maiores, mais conhecidos na Rota 46 Leste em um dia e, no outro, seguir para as colinas a oeste da Rota 46, até as vinícolas onde a pessoa que serve pode ser o próprio vinicultor. Ou entregue na mão de Baco e siga a esmo pelas estradas vicinais sinuosas.

Claudine Blackwell e Terry Brady removeram o lado esnobe da degustação de vinho no Clautiere, a 8 km do centro de Paso Robles. Uma cerca de aço com detalhes em rococó recebe os visitantes e bolas de mosaicos e conchas penduradas nos galhos das árvores lembram balões de ar quente em miniatura. Dentro da casa da fazenda vermelha com toque artístico que serve como sala de degustação, os detalhes encorajam os degustadores a rirem um pouco: o chão com tema de arlequim, o padrão de cor lavanda, as cestas de perucas e chapéus para experimentar.

A degustação de vinho estimula o apetite. Na Mount Olive Organic Farm, você pode escolher pão fresco, frutas e uma seleção de patês de azeitona e armar seu próprio piquenique no pátio espaçoso.

Peter Dasilva/NYT
Azeite produzido em Paso Robles, na Califórnia
Alguns visitantes gostam de fazer uma refeição apenas de pão embebido nos suntuosos azeites locais. Na Olea Farm perto de Templeton, um azeite em particular, de azeitona arbequina, é que recebe toda a atenção por seu sabor amanteigado. Bem, quase toda. Quando os visitantes se aproximam da fazenda, eles vêem três setas pregadas em um poste, cada uma apontando para uma direção diferente: "Sala de Degustação", "Showroom" e "Mercado de Pulgas de Paris, 9.334 km". Clotilde e Yves Julien, os proprietários, vieram da França há sete anos e dirigem a propriedade como uma combinação de fazenda de olivas e loja de antiguidades.

"Às vezes as pessoas vêm apenas para comprar o azeite de oliva e acabam levando móveis", disse a delicada e grisalha Julien. Ex-camareira executiva de hotéis cinco estrelas, ela atualmente é uma especialista na produção de azeite de oliva. "Nós não infundimos nosso azeite", ela explicou aos visitantes embebendo delicadamente os pães cortados em cubos. "Nós misturamos o azeite com um extrato, como manjericão ou limão, para realçar o sabor."

Para um toque de história, a minúscula cidade de San Miguel fica a 11 quilômetros ao norte de Paso Robles e, de certa forma, a várias centenas de anos no passado. A Missão de São Miguel Arcanjo, com três quadras de extensão, foi fundada em 1797 e ainda está em pé, apesar do terremoto de 2003 ainda impedir o acesso do público à sua igreja principal. Todavia, o coral de vozes entoando hinos pode ser ouvido vindo da capela temporária em uma manhã de domingo. Uma caminhada leva ao adorável jardim interno e até a moradia do padre, com a sala de jantar original com piso ladrilhado, e uma sala de estar, onde pergaminho cobre as janelas (vidro era caro e frágil demais). A missão ainda serve como um noviciado para treinamento de jovens franciscanos; quatro estão na residência.

A 11 quilômetros a leste da missão, a vinícola Silver Horse pode provavelmente alegar contar com a melhor vista de qualquer vinícola da região. No topo de uma colina cercada por centenas de hectares de vinhas, a nova casa de degustação é uma hacienda com telhas de 105 anos, uma fonte e três pátios. O interior, com teto abobadado e ornamentos de madeira, lareira e cadeiras de couro, faz você se sentir em casa.

Ao pôr-do-sol de um dia de novembro, a paleta de ocre, dourado, verde, musgo e sálvia nos campos ao redor adquirem tons mais escuros sob os céus rosados. Um casal balançava preguiçosamente em um balanço de madeira com vista para as vinhas, com taças de vinho na mão. Dentro da sala de degustação, Jessica Stapp servia um punhado de visitantes, conversando amistosamente com eles enquanto provavam, faziam uma pausa e provavam de novo. Seu ritmo descontraído combinava com o murmúrio da conversa, criando um ambiente que estimulava os convidados a bebericarem lentamente e saborearem o dia.

"Estão prontos para o próximo?" ela perguntava.

Informações aos visitantes

A região de vinhos de Paso Robles fica aproximadamente no meio do caminho entre San Francisco e Los Angeles. Uma degustação típica de cinco a sete vinhos custa US$ 5 ou mais em algumas vinícolas e é gratuita em outras.

As diárias dos quartos de hotel em Paso Robles custam a partir de US$ 195 no Hotel Cheval (Pine Street, 1021; 866-522-6999; www.hotelcheval.com) e a partir de US$ 129 no recém-inaugurado Courtyard by Marriott (South Vine Street, 120; 805-239-9700).

O 10th St. Vineyard Cafe (10th Street, 249, San Miguel; 805-467-3141; www.tenthstreetvineyardcafe.com) serve refeições bascas estilo família em mesas comunais por US$ 27,50. As coisas são mais convencionalmente formais no Artisan (Park Street, 1401, Paso Robles; 805-237-8084; www.artisanpasorobles.com), que enfatiza pratos contemporâneos e ingredientes locais.

Para os azeites de oliva locais, visite a Mt. Olive Organic Farm (Adelaida Road, 3445, Paso Robles; 805-237-0147; www.mtoliveco.com; das 10h às 17h de quinta a domingo) ou a Olea Farm Olive Oil and French Antiques (Templeton Road, 2985, Templeton; 805-610-2258; www.oleafarm.com; 10h às 16h30 nos fins de semana).

O museu e loja de presentes da Missão de São Miguel Arcanjo (Mission Street, 775, San Miguel; 805-467-3256; www.missionsanmiguel.org) abrem diariamente das 9h30 às 16h30.

Entre as vinícolas para se visitar estão:

Sculpterra Winery and Sculpture Garden, Linne Road, 5015, Paso Robles; (805) 226-8881; www.sculpterra.com; das 10h às 17h, de sexta a domingo.

Clautiere Vineyard, Penman Road, 1340, Paso Robles; (805) 237-3789; www.clautiere.com; diariamente do meio-dia às 17h.

The Silver Horse Winery, Pleasant Road, 2995, San Miguel; (805) 467-9463; www.silverhorse.com; das 11h às 17h de sexta a segunda-feira.

Tradução: George El Khouri Andolfato

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos