"Check-in, check-out": La Purificadora é hotel design no México que atrai jovens endinheirados

TARA FITZGERALD

New York Times Syndicate

  • Adriana Zehbrauskas/NYT

O Básico
Desde a inauguração de seu primeiro hotel design na Cidade do México, o grupo Habita se tornou sinônimo de hotéis cheios de estilo no México. Seu sexto hotel, La Purificadora ("a purificadora", oriundo de fábrica purificadora de água, o uso original do prédio), foi inaugurado em maio passado em Puebla. Projetado pelo principal arquiteto do México, Ricardo Legorreta, o hotel ocupa um prédio de quatro andares do século 19 e mantém alguns de seus elementos originais, como os aquedutos de pedra e ruínas dos muros. Mas suas adições modernas, como piscina com paredes de vidro e bar na cobertura, estão provocando sensação -especialmente à noite, quando o hotel parece mais um clube noturno.

A Localização
Um pouco estranha. O hotel fica no terreno do centro de convenções Paseo San Francisco, que deprecia a exclusividade que tenta projetar. Ainda assim, a maioria dos quartos dá vista para jardins bem cuidados e para uma velha igreja, além de ficar próximo do centro colonial.

Os Freqüentadores
Em um dia de verão, o lobby, parcialmente ao ar livre, estava repleto de jovens profissionais mexicanos e turistas elegantes. O bar na cobertura, por outro lado, atrai uma freqüência endinheirada ainda mais jovem. A música podia ser ouvida em nosso quarto no terceiro andar até o fechamento (meia-noite; duas horas da madrugada nos fins de semana).

Os Quartos
Decoração minimalista com madeira escura e toques púrpura -um desvio da paleta technicolor habitual de Lagorreta. Meu quarto padrão era longo, estreito e um pouco apertado -uma cama king-size fofa dominava o espaço-, mas a janela do piso ao teto o fazia parecer maior. Ele tinha uma sacada, mas a porta emperrou fechada depois que as tábuas do piso incharam com a chuva. Foram necessários vários pedidos antes que nossa diária fosse descontada para a de um quarto sem sacada.

Os Banheiros
O box do chuveiro e vaso sanitário se encontravam atrás de portas de vidro fosco, oferecendo pouca privacidade. Apesar de o chuveiro ser espaçoso, a água vazava por sob a porta. Fora isto, pouco no banheiro cor creme se destacava.

Comodidades
Uma piscina parecida com aquário decora o terraço da cobertura, juntamente com uma banheira de hidromassagem e uma pequena academia. Os quartos são equipados com TVs de tela plana, telefones Bang & Olufsen, rádio-relógio pronto para iPod e Wi-Fi gratuito, mas instável. Um minibar cheio de estilo, montado na parede, estava cheio de petiscos e bebidas alcoólicas.

Serviço de Quarto
Um cardápio 24 horas está disponível, apesar das opções serem limitadas depois do café da manhã. Foram necessárias várias transferências de telefone antes que pudesse fazer meu pedido (panquecas de mirtilo, suco de laranja fresco e café por 120 pesos, cerca de US$ 11 com o dólar valendo 11 pesos), mas que chegou em 20 minutos. O pequeno restaurante do hotel conta com mesas comunais e serve pratos fusion mexicanos como bife angus com "mole sauce" (molho a base de cacau e chili) e abobrinhas recheadas com queijo em um caldo de tomate. A lista de vinhos é extensa, mas a comida não impressionou como a de outros destinos do Habita. O jantar para dois custa cerca de 1.100 pesos.

Resumindo
Um hotel butique moderno na cidade histórica de Puebla, o La Purificadora é uma alternativa bacana para viajantes que apreciam design e que não são muito exigentes com serviço. A diária de um quarto padrão sem sacada é de US$ 145; com sacada, US$ 165. Uma suíte royal maior, com ampla sacada e banheira de hidromassagem particular, sai por US$ 295.

La Purificadora, Callejón de la 10 Norte, 802, Paseo San Francisco, Barrio el Alto, Puebla, México; (52-222) 309-1920; www.lapurificadora.com.

Tradução: George El Khouri Andolfato

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos