Viagem

Sem tempo para viajar? Conheça destinos fantásticos a menos de 200 km de SP

Do UOL

24/02/2017 04h01

Quem vive na cidade de São Paulo sabe muito bem: sob a rotina corrida da maior metrópole brasileira, nem sempre é possível encontrar tempo para realizar uma viagem para destinos paradisíacos longínquos, como as praias do Nordeste ou as chapadas do interior do país.

A boa notícia é que, nas proximidades da capital paulista, existem diversos lugares ideais para jornadas de curta duração, com paisagens que nada têm a ver com o cenário cinzento da Pauliceia Desvairada e com passeios que colocam o viajante em contato direto com história, ambientes relaxantes e muita natureza. 

Abaixo, o UOL Viagem selecionou sete destinos que ficam a menos de 200 km de São Paulo e  que podem ser uma pedida perfeita para o seu próximo fim de semana. Conheça-os. 

  • Paranapiacaba

    Localizada a cerca de 60 km do centro de São Paulo, Paranapiacaba é um pequeno pedaço da Inglaterra no meio da Mata Atlântica. A vila foi erguida no século 19 como centro operacional da São Paulo Railway Company (SPR), empreendimento britânico que construiu um sistema ferroviário para conectar o interior paulista ao porto de Santos. Os edifícios que surgiram no local, situado no topo da Serra do Mar, exibem, até hoje, inconfundíveis características inglesas.

    A paisagem de Paranapiacaba é dominada pela torre do relógio Johnnie Walker Benson, fabricado em Londres e que lembra (um pouco) o famoso Big Ben. Sob a sombra do relógio, há uma Maria Fumaça de 1867 que leva os visitantes para rápidos passeios sobre os trilhos e casas de arquitetura fotogênica, encontradas principalmente na área conhecida como Vila Martin Smith (na foto): trata-se de um bairro planejado, de traçado octogonal, pontuado por casas padronizadas de madeira cercadas por aprazíveis jardins (e que ainda são habitadas).

    E lá perto está o Museu Tecnológico Ferroviário, onde o visitante pode conhecer a tecnologia usada, no passado, para tracionar os trens em seu árduo percurso pela Serra do Mar. E há uma boa notícia se você for amante de futebol: a vila abriga um dos campos de futebol mais antigos do Brasil, aberto no final do século 19 e, onde, reza a lenda, jogou Charles Miller (ele próprio um ex-funcionário da SPR). Um fato histórico orgulha hoje muitos dos habitantes locais: naquele gramado, em julho de 1925, o Serrano Atlético Clube, time formado em Paranapiacaba em 1903, derrotou o Corinthians por 2x1.

  • Embu das Artes

    Passear em um lindo centro histórico e, de quebra, comprar artesanatos de primeira qualidade. Estes são, sem dúvida, dois dos grandes atrativos de Embu das Artes, município localizado a cerca de 30 km da cidade de São Paulo. Recheada de construções com mais de 200 anos, a cidade é um polo de pintores, escultores, músicos e poetas, que, aos fins de semana, exibem seus trabalhos à sombra de monumentos como o Conjunto Jesuítico, erguido pelos jesuítas no século 18 e, que, além de uma igreja, abriga um museu de arte sacra.

    Neste local, o público admira obras-primas como o "Senhor Morto" (estátua de Jesus Cristo em tamanho real, esculpida a partir de uma única tora de madeira) e a figura de Nossa Senhora do Rosário, além de dezenas de outras peças de grande valor cultural e religioso.

    No belo Largo dos Jesuítas e nas alamedas vizinhas, existe uma das principais feiras de artes do país. São hoje centenas de expositores trabalhando em barracas e diversos ateliês e antiquários, que ocupam os casarões antigos do centro histórico. A diversidade de produtos à venda é enorme: há pinturas, esculturas, joias, vestimentas, penduricalhos, porcelanas, móveis rústicos e até plantas e flores. Para conhecer o trabalho de um dos principais artistas radicados em Embu, vá ao Memorial Sakai de Embu, onde estão belas obras em terracota do escultor Tadakiyo Sakai e de seus discípulos.

  • Campos do Jordão

    Campos do Jordão é um dos mais famosos destinos de inverno do Brasil, mas pode ser explorado em todas as épocas do ano. Localizada a cerca de 170 km de São Paulo, a cidade e seus arredores oferecem excelentes atividades culturais e de ecoturismo. Uma delas é o passeio até o Pico do Itapeva, que tem 2.035 metros de altitude e proporciona vista panorâmica para uma extensa área do Vale do Paraíba (quando o dia está aberto, é possível avistar do topo 17 cidades da região).

    Já no Rancho Santo Antônio, as principais atrações são os circuitos de arvorismo, uma tirolesa que fica a 800 metros de altura e passeios a cavalo através de paisagens rurais belíssimas (como pode ser visto na foto). E, no verão, turistas se refrescam no local conhecido como Ducha de Prata, onde há cascatas formadas pelo represamento das águas do Ribeirão das Perdizes.

    Se você gosta de cerveja, faça uma visita à fábrica da Baden Baden, hoje uma das melhores cervejarias do país (e um orgulho de Campos de Jordão). No tour, é possível aprender sobre o processo produtivo dos diversos tipos de cervejas feitos pela empresa, receber dicas de harmonização da bebida com comida e ainda experimentar os chopes Cristal e Bock.

  • Estrada Velha de Santos

    Está a fim de fazer uma extensa caminhada que lhe proporcione visões espetaculares e muito contato com a natureza? Caso a resposta seja sim, saiba que, no km 42 da rodovia Caminho do Mar (SP-148), em São Bernardo do Campo, à curta distância de São Paulo, está a portaria que dá acesso à Estrada Velha de Santos, hoje fechada a veículos motorizados e disponível para turistas que gostam de andar. Os visitantes descem por 9 km de asfalto, passando, no caminho, por trechos preservados da Mata Atlântica, mirantes que oferecem visões panorâmicas para a Baixada Santista e importantes marcos históricos.

    Um deles é a Calçada do Lorena: construída no final do século 18, a obra é o primeiro caminho pavimentado com pedras a conectar o litoral ao planalto paulista. Seu desenho se entrelaça com a rodovia e, no percurso, o turista vê alguns trechos dessa rota lendária: D.Pedro 1º teria subido a Calçada do Lorena, no lombo de um jumento, pouco antes de proclamar a independência do Brasil, em 1822.

    O descenso chega a durar seis horas, tem diversos pontos de descanso para os andarilhos e termina em Cubatão, proporcionando uma espécie de choque para o viajante: é assustador deixar o ar puro que cerca a Estrada Velha e entrar, subitamente, na atmosfera poluída da cidade. Para realizar o percurso, é preciso fazer um agendamento no seguinte site: www.parqueestadualserradomar.sp.gov.br/pesm/nucleos/caminhos-do-mar/

  • Santana de Parnaíba

    Situada a cerca de 40 km de São Paulo, a cidade de Santana de Parnaíba foi, nos séculos 16, 17 e 18, quando ainda era vila, ponto de partida dos bandeirantes que se dirigiam ao interior do Brasil em busca de riquezas e escravos. Hoje, o destino preserva muitos dos edifícios que foram erguidos durante e após aquele período --e se orgulha de ter mais de 200 construções tombadas pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico).

    Em um passeio pelo agradável centro histórico de Santana de Parnaíba, o viajante entra em contato com monumentos como a Igreja Matriz (inaugurada no século 19 e que abriga um lindo altar dourado com a imagem de Santa Ana), a praça 14 de novembro (com um fotogênico coreto de ferro importado da Inglaterra) e um extenso casario antigo, erguido em sua maioria com taipa de pilão.

    O Museu Casa do Anhanguera, por exemplo, é modelo de residência bandeirista na cidade e, nada mais justo, leva a alcunha de um dos mais famosos pioneiros do país ("Anhanguera", ou "diabo velho", foi o apelido dado ao bandeirante Bartolomeu Bueno da Silva pelos índios). Erguida no começo do século 17, a casa expõe objetos usados no cotidiano de Santana de Parnaíba em séculos passados. Outros locais imperdíveis no município são a Casa da Cultura Monsenhor Paulo Florêncio da Silveira Camargo (sobrado construído no século 18 que hospeda a Secretaria de Cultura e Turismo da cidade) e o Cine Teatro Coronel Raymundo, uma belíssima edificação do final do século 19 que dá espaço a atividades culturais.

  • Itu

    A cerca de 100 km da capital paulista, Itu é uma opção de viagem rápida ideal para fazer com crianças. Além de impressionar os pequenos com seus objetos gigantescos (como o orelhão visto na foto, localizado em uma das praças centrais do município), a cidade tem um atrativo extremamente apetitoso em seus arredores: a Fazenda do Chocolate, onde famílias inteiras podem se deliciar com os diferentes tipos do produto feitos no local. Lá é também possível realizar passeios a cavalo, visitar um zoológico e almoçar em um restaurante de autêntica comida caipira.

    Recheado de belos monumentos, o centro de Itu também merece que o turista lhe dedique algumas horas. A área exibe edificações como a Igreja Nossa Senhora do Carmo (com o teto marcado por uma linda pintura do frei Jesuíno do Monte Carmelo) e a Praça da Independência, adornada com imensas palmeiras imperiais e perfeita para um sorvete.

    A arborizada Praça Padre Miguel (também chamada de Praça da Matriz), por sua vez, abriga os principais símbolos da cidade, como a Igreja Matriz da Candelária, além do orelhão e o semáforo gigantes de Itu.

  • APA Capivari-Monos

    Esta dica é para quem fazer uma viagem de ecoturismo sem sair da cidade de São Paulo. A menos de 50 km do centro da capital paulista existe uma área de preservação ambiental chamada APA Capivari-Monos, que, apesar de pertencer ao território paulistano, fará o viajante sentir que está em algum recanto isolado e esquecido do Brasil. Trata-se de uma extensa área de mata atlântica com cachoeiras, trilhas e até aldeias indígenas, que podem ser desbravadas por turistas que curtem a natureza.

    Na região estão os últimos rios limpos de São Paulo e, em determinadas áreas, a imersão na selva é total. E na região e arredores é também possível ter experiências culturais interessantes: a área abriga o Solo Sagrado, um terreno de 327 mil m² cheio de flores, lagos e pessoas praticando Johrei (técnica de purificação espiritual). O Solo Sagrado pertence à Igreja Messiânica Mundial, instituição de inspiração xintoísta fundada no Japão em 1935. Seu objetivo é ser um "protótipo do paraíso terrestre", onde as pessoas podem entrar em contato com a natureza e se desenvolver espiritualmente.

    A APA Capivari-Monos está localizada no extremo sul do município de São Paulo e fica sob a jurisdição da subprefeitura de Parelheiros. É aconselhável contratar guias para explorar a área: uma das agências turísticas mais conhecidas para fazer este tipo de tour é a Biotrip (www.biotrip.com.br).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Viagem

Topo