Viagem

Ecoturismo

Destino de águas claras, Bonito tem temporada de atividades aquáticas

Eduardo Vessoni

Colaboração para o UOL, de Bonito*

29/06/2016 17h54

Dona de rios cristalinos e reconhecida internacionalmente pela qualidade do ecoturismo local, Bonito faz de suas águas a melhor atração. A cidade, localizada a 265km da capital Campo Grande (MS), é figura fácil nas listas de rios com as águas mais claras. Tudo culpa da concentração de calcário, que serve como filtro natural e garante a alta visibilidade.

No destino é possível entrar em piscinas naturais de dimensões ainda desconhecidas, explorar um abismo em um rapel até seu lago interior com imensos cones calcários ou, simplesmente, flutuar no ritmo da correnteza em rios rasos e repletos de peixes coloridos.

Seja qual for a sua pegada, Bonito oferece opções de atividades para diferentes tipos de visitantes. Por ali, tudo é uma questão de fôlego e disposição para superar os seus limites. Conheça algumas das 40 atrações oficiais disponíveis.

Lagoa Misteriosa

Jason Marinho/Divulgação
Imagem: Jason Marinho/Divulgação

Localizada em Jardim, município vizinho a Bonito, possui entrada por um buraco que se afunila ao longo de 75m. O acesso é feito por uma escadaria de quase 180 degraus e atinge a impressionante profundidade de 220m - ao menos essa é a distância máxima em que se conseguiu chegar até o momento.

Considerada a sétima caverna mais profunda do Brasil, de acordo com a Sociedade Brasileira de Espeleologia, a Lagoa Misteriosa é um dos endereços mais cobiçados para mergulhos em água doce. Conta com opções como flutuações sobre os dois abismos azuis que formam o fundo da lagoa e mergulhos com cilindro para visitantes credenciados, que realizam atividades a até 25m de profundidade.

A temporada vai de abril a setembro. Nos outros meses do ano, o processo natural de proliferação de microalgas turva as águas da lagoa e impede a realização dessas atividades. Mais informações: www.lagoamisteriosa.com.br.

Abismo Anhumas

Eduardo Vessoni/UOL
Imagem: Eduardo Vessoni/UOL

A 23km do centro de Bonito, o Abismo Anhumas é considerado uma das cavernas mais profundas do Estado, daquelas capazes de levar visitantes a níveis nunca imaginados. Fica na Serra da Bodoquena, referência nacional para prática do mergulho em cavernas.

Para quem deseja acrescentar alguns pontos a mais no nível de adrenalina, o local não decepciona. Seu único acesso está em uma fenda que se abre sob os pés, levando a um rapel de 72m de altura, que equivale a um prédio de 27 andares.

Nele, os intrépidos deslizam entre paredões estreitos, cruzam jardins suspensos que flutuam em fendas profundas e mergulham em um lago com 80m de profundidade, endereço de fósseis de animais e recortado por cones calcários de 20m de altura, na “Cidade dos Cones”.

Mesmo visitantes sem certificados podem aproveitar as águas flutuando ou navegando sobre botes. Mas todos os participantes, independentemente do grau de conhecimento do esporte, devem fazer um treinamento prévio na sede da empresa, localizada no centro de Bonito. Mais informações: www.abismoanhumas.com.br.

Dentro de um aquário

Rio da Prata/Divulgação
Imagem: Rio da Prata/Divulgação

Se o nível de sangue frio for insuficiente para encarar as experiências anteriores, Bonito também oferece atividades como as flutuações, o principal atrativo da região. Nele, os visitantes usam roupa de neoprene, colete, snorkel e máscara para flutuarem em rios que parecem grandes aquários a céu aberto.

Suas águas, exageradamente transparentes, abrigam uma variada fauna aquática; sobretudo de maio a novembro e fora da época da piracema, quando os peixes procuram as nascentes da região para a desova.

A 50km da cidade, o Recanto Ecológico Rio da Prata (www.riodaprata.com.br) encontra-se no interior de uma Reserva Particular do Patrimônio Natural e realiza uma das flutuações mais populares do destino. Já o rio Sucuri (www.riosucuri.com.br) ganhou fama mundial com seu título de o mais cristalino do Brasil.

Na prática, a experiência costuma ser a mesma: trilhas curtas por mata ciliar, observação de animais e plantas, além das flutuações, sempre acompanhadas por barcos de apoio. De resto, é manter a cabeça submersa, nos quilômetros seguintes, e deixar que o destino mostre seus encantos.

Pé na roça

Eduardo Vessoni/UOL
Boia cross no rio Formoso, a 6km de Bonito Imagem: Eduardo Vessoni/UOL

O turismo nas fazendas de Bonito vai além dos pratos preparados no fogão a lenha, conquistando espaço com atividades ao ar livre em estabelecimentos que, desde a década de 1990, tem feito fazendeiros dividirem sua atenção entre a pecuária e as atividades turísticas.

A 36 km de Bonito, por exemplo, a Fazenda Ceita Corê (www.ceitacoreecoturismo.com.br) é conhecida por uma trilha leve de 1.800m em mata fechada que dá acesso a seis cachoeiras, onde os visitantes param para banhos sob quedas d'água de até 13m de altura.

Além das caminhadas, o programa inclui almoço em buffet livre e visita à nascente do rio Chapeninha, cujo buraco de acesso já tem mapeados 155m de profundidade.

Não muito longe do centro de Bonito, a 6km de distância, o Hotel Cabanas (www.hotelcabanas.com.br) eleva o nível de aventura não só em águas cristalinas, mas também nas copas das árvores, onde acontece o arvorismo de 18 obstáculos, combinado com uma tirolesa de 60m que termina dentro do rio Formoso.

Suas águas também servem de cenário para um percurso de boia cross que passa por corredeiras e pequenas quedas d'água. Divididos por cordas que retém e preparam os aventureiros para a descida seguinte, os 1.200m de extensão são vencidos em botes individuais que até parecem treinados para lançar visitantes naquelas águas refrescantes do Cerrado.

Pedal ecológico

Eduardo Vessoni/UOL
Imagem: Eduardo Vessoni/UOL

Para os fãs de bike, existe uma outra atividade em terras bonitenses. Nos roteiros de bicicleta do projeto Lobo Guará (www.loboguarabikeadventure.com.br), os ciclistas realizam um pedal de 17,5km por rodovias e trechos off road para, ao final do trajeto, plantarem mudas de árvores como cedro, ipê e ingá.

Em seis anos de atuação, foram plantadas quase cinco mil árvores. E como ninguém é de ferro, o tour inclui paradas para banhos no rio Formoso, enquanto Bonito vai seguindo no ritmo lento das águas que o colocaram entre os cenários mais exibidos (e cristalinos) do Brasil.

* O jornalista viajou com o apoio da Secretaria de Turismo de Bonito e da GoPro

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Topo