menu
Topo

Viagem

Roteiros gastronômicos

Rota Ecológica de Alagoas tem cozinhas encantadoras em vilas de pescadores

Camila Fróis e Fernando Angeoletto (fotos)

Colaboração para o UOL, de Maceió

29/10/2015 19h13

Quem avista pela primeira vez as singelas casinhas envoltas por coqueirais ou caminha com água pelas canelas entre as piscinas naturais quentinhas da Praia do Toque mal se lembra que está a menos de 100km de Maceió, um dos destinos mais frequentados do Nordeste. De Barra de São Miguel a Japaratinga, a chamada Rota Ecológica de Alagoas segue por entre vilas de pescadores, alheias ao zum-zum-zum do mundo.

A maior preocupação de quem vive ali é saber a hora em que a maré sobe ou desce. Quando recua, é possível fazer longas caminhadas até os recifes imersos em uma paisagem de azul infinito, que integra a segunda maior costa de corais do mundo. Neste momento, as mulheres das comunidades locais se dedicam ao paciente ritual de catar conchinhas de mariscos, como a taioba e massunim, enterrados na areia. Enquanto isso, os homens se aventuram em mergulhos além da costa de corais atrás das lagostas, em uma espécie de caça submarina um tanto pitoresca.

$escape.getH()uolbr_geraModulos('embed-foto','/2015/os-mares-turquesas-de-maragogi-e-onde-se-capturam-os-frutos-do-mar-premium-usados-na-cozinha-alagoana-1446152160147.vm')

As iguarias encontradas vão direto para as panelas dos chefs das pousadas fincadas na areia de praias semidesertas, como São Miguel dos Milagres ou Porto de Pedras. Camufladas na paisagem de Mata Atlântica que se debruça sobre o mar, muitas delas ostentam cozinhas despretensiosas, mas surpreendentes, sempre abastecidas por estes frutos do mar fresquíssimos.

A culinária alagoana se vale de um interessante intercâmbio cultural, pois alguns restaurantes são comandados por italianos, franceses, israelenses, portugueses e brasileiros, que escolheram esse cantinho silencioso do mundo para desacelerar o ritmo e cozinhar divinamente bem. Por isso, mesmo que você se hospede em apenas uma das pousadas do roteiro, a ordem é peregrinar pelas diferentes opções das praias vizinhas e conferir o charme discreto de cada uma, além dos cardápios exclusivos.

Vale ainda se esticar até a popular praia de Maragogi, localizada a 20km depois de Japaratinga, para conferir as criações do Festival de Lagosta (www.festivaldalagosta.com.br), que acontece anualmente no mês de setembro. Encerrado o evento, os pratos ficam disponíveis em cerca de 20 restaurantes participantes durante um ano. O destaque de 2015 é o lagostim com risoto de coco do Hotel Salinas, que combina as duas maiores preciosidades da região. Também vale a pena experimentar criação do Hotel Areias Belas: uma lagosta que leva banana da terra, manteiga e gengibre.

Conheça algumas pousadas que conquistaram seus hóspedes literalmente pelo estômago.

$escape.getH()uolbr_geraModulos('embed-foto','/2015/peixe-no-molho-de-limao-na-pousada-do-toque-1446141709452.vm')

Pousada do Toque (São Miguel dos Milagres)
Pioneira, e a mais sofisticada da rota, integra a associação das seletas pousadas de charme do Brasil. A fama da gastronomia premiada do lugar faz jus à dedicação do chef e proprietário Nilo Burgarelli. Suas criações conquistam os paladares mais exigentes com mimos como o mel de flores e frutas do mangue, ingrediente que dá o toque exclusivo no roesti de macaxeira recheado com moqueca de massunim. O mel, aliás, é um xodó do chef. Também vai no lagostim com purê de abóbora e cuscuz de milho, e ainda na mousse de coco com mel do engenho.

Ali, o café da manhã não tem hora para acabar, mas a liberdade não termina por aí. Além do cardápio premiado, os hóspedes tem acesso a uma cozinha gourmet inteiramente à disposição. Os utensílios, temperos e azeites dos mais diversos lugares do mundo ficam por conta. É só reservar o espaço e avisar quais os ingredientes você pretende preparar que a equipe deixa no ponto.

$escape.getH()uolbr_geraModulos('embed-foto','/2015/amarelo-e-manga-peixe-grelhado-com-fatias-de-banana-da-terra-ao-molho-de-manga-couve-e-arroz-com-coco-limao-e-pimenta-calabresa-folhas-de-rucula-com-azeite-de-curry-1446139757991.vm')

Pousada Amendoeira (São Miguel dos Milagres)
Com mesas espalhadas em cantinhos charmosos de um jardim à beira-mar, o restaurante do estabelecimento, localizado na Praia do Toque, oferece um cardápio pra lá de tropical. A responsável pelas criações, Jessy Greenhut, investe em grãos integrais, robalos, lagostas e polvos, além de hortaliças orgânicas colhidas na horta própria. O resultado são pratos muito coloridos, leves e, ao mesmo tempo, de sabor intenso, valorizados por uma apresentação caprichada. 

Algumas propostas do menu revelam as origens israelenses de sua família, e também do marido e sócio Tsachi. Um exemplo é o filé de peixe em crosta cítrica de amêndoas, acompanhado de cuscuz marroquino com legumes e abobrinhas grelhadas. Outras opções não poderiam ser mais nordestinas, como o sugestivo “Amarelo e Manga”: peixe grelhado com fatias de banana-da-terra (muito típica da região) ao molho de manga, couve e arroz com coco, limão, pimenta calabresa e folhas de rúcula.

Mesmo com tanta brasilidade junta, o azeite de curry dá o toque árabe. E os pratos com camarões também são imperdíveis. Um deles é picante e leva molho de coco com coco chips (crocante). Já o camarão pinguço é flambado com cachaça e servido com abobrinhas grelhadas ao caramelo de balsâmico – simples e apaixonante. A recepção dos anfitriões e funcionários é para te fazer sentir absolutamente em casa. Quem não está hospedado no local precisa fazer reservas.

$escape.getH()uolbr_geraModulos('embed-foto','/2015/entrada-de-agulhinha-com-uma-apresentacao-criativa-da-chef-corine-1446140050680.vm')

Pousada Cotesud (São Miguel dos Milagres)
A francesa Corine, proprietária e comandante da cozinha, usa e abusa dos peixes sazonais e das demais delícias da região. De sabor mais suave que a ostra, a geleia dourada (extraída do ouriço), que tem um leve aroma de maresia, parece uma descoberta gastronômica por aqui, embora já seja muito apreciada na Europa, especialmente em receitas japonesas. Como a grande paixão da chef é inventar moda, o cardápio é diverso, fresco e está sempre repleto dos sabores do mar e dos mangues dos arredores, inclusive nos recheios das massas preparadas na própria pousada – vale conferir o canelone de siri. 

Alguns pratos são valorizados por técnicas simples de preparo, como os peixes grelhados na churrasqueira aquecida com brasa de coco. O processo deixa as carnes defumadas com um aroma delicioso do fruto. Outros mimos delicados estão nas sobremesas. O cupcake, por exemplo, leva farofa de speculoos, biscoito belga, típico da região de Flandres, com cor de caramelo e sabor de especiarias como cravo e canela.

A adega é mais uma atração internacional, incluindo rótulos chilenos, franceses, portugueses e africanos, indicados por Corine para acompanhar as suas diferentes criações. Depois do almoço, a grande pedida é uma tarde de preguiça na biblioteca ao ar livre da pousada, de frente para o mar e cercada de oito mil hectares de natureza preservada. No meio da tarde, o espaço é abastecido com café e bolos saídos do forno.

$escape.getH()uolbr_geraModulos('embed-foto','/2015/cafe-da-manha-na-pousada-beijupira-e-servido-em-um-aconchegante-jardim-em-frente-ao-mar-e-inclui-diversos-quitutes-regionais-como-tapioca-banana-da-terra-com-coco-e-cuscuz-1446140855102.vm')

Pousada Beijupirá (Porto de Pedras)
Com um ambiente rústico chique, a aldeia Beijupirá é um lugar para esquecer de vez a rotina, dormir ao som do quebra-mar e tomar um café da manhã todo especial com vista para a piscina e o oceano, acompanhado de sucos de frutas da época, pães caseiros, tapioca quentinha, cuscuz, banana da terra, geleias, entre outros quitutes regionais.

Quando se fala nas refeições principais, o cardápio oferece opções interessantes, como o peixe beijupirá - que dá nome à pousada. Típico do Nordeste, o pescado agrada com sua carne branca e fresca, além de textura macia. O gosto suave e delicado o torna muito versátil, sendo acompanhado de frutas, azeites e especiarias.
Uma das opções da Aldeia é o beijupirá grelhado e perfumado com canela, servido com molho de tamarindo, arroz com curry e banana da terra caramelada com crosta de coco fresco.

Já o beijupitanga é preparado na chapa com azeite, batata temperada, arroz de castanha, molho de pitanga. A sobremesa mais pop da casa é simples, refrescante e imperdível: sorvete de capim santo.

Mais Roteiros gastronômicos