menu
Topo

Viagem

No Chile, turistas esquiam, curtem bons pratos e visitam o mar no mesmo dia

Sergio Crusco

Do UOL, no Chile*

07/08/2015 13h26

Se você é um viajante intrépido, pode conseguir um feito inesquecível na próxima passagem pelo Chile. Pela manhã, esquiar nas montanhas do Valle Nevado e, à noite, estar à beira da praia em Viña del Mar ou apreciando a vista de Valparaíso do topo de um de seus charmosos morros.

Mas gostoso mesmo é viajar com calma, reservando pelo menos um dia para curtir cada uma dessas paisagens: a vida agitada de Santiago, algumas horas de esqui na Cordilheira dos Andes e aventuras ao pé do Oceano Pacífico. Tudo fica pertinho e, o melhor, você pode criar os mais variados roteiros gastronômicos pelo caminho, com direito a muito salmão, frutos do mar, carnes, vinho e até algumas aulas de culinária numa escola moderna e bem equipada.

Comida de mãe, comida gostosa

Sergio Crusco/UOL
Imagem: Sergio Crusco/UOL

Se quiser começar em Santiago por algo diferente da rota tradicional (ir ao Mercado Central, por exemplo), vale conhecer o trabalho de jovens chefs que revitalizam uma das instituições nacionais do Chile, a "fuente de soda". Populares desde os anos 50, as "fuentes" sempre foram um lugar de refeições rápidas e familiares. Mas perderam o charme ao longo das décadas, transformando-se em sujinhos – às vezes sujões – pouquíssimo atraentes.

O Las Cabras (na foto), no bairro de Providencia, é um interessante endereço da nova geração de "fuentes". Porém, não espere modernidades na decoração, no preparo e na apresentação dos pratos. O letreiro em neon já avisa: "Comida Rica" – quer dizer, gostosa. “Servimos comida chilena caseira, os pratos que nossas mães preparavam, sem inovações, mas com ingredientes muito bem selecionados”, diz o chef Juan Pablo Mellado, que comanda o restaurante.

A carne de porco é uma das grandes referências do Las Cabras. Se gosta de experiências transformadoras, não perca a "charcha de chanco" (bochecha, um corte raro no Brasil), de maciez incrível, servida com batatas rústicas e um molho que vai pedir arroz ou pão. Outra perdição é o "malaya chancho" com lentilhas. O corte é retirado da barriga do porco, mas não se trata de panceta, e sim de gordura pura e frita. Para quem não tem problemas com calorias ou colesterol, é outra iguaria que apresenta um Chile pouco conhecido – e cheio de sabor – aos turistas.

Jorge “Coco” Pacheco, o chef superstar

Divulgação
Imagem: Divulgação

Os fãs da alta gastronomia vão gostar de visitar o Aquí Está Coco (na foto), do chef superstar Jorge “Coco” Pacheco, especializado em pescados e frutos do mar. O restaurante está instalado num casarão imponente, que sofreu um incêndio em 2008 e foi totalmente remodelado com elementos de outras construções. 

A forma boa de abrir o apetite é pedir um coquetel à base de pisco (aguardente de uva). Coco tem uma das cartas de pisco mais completas do Chile, com exemplares de várias procedências em vários estágios de envelhecimento. Os drinques feitos com eles, como o pisco sour com maqui (fruta vermelha do sul do Chile) é especial.

Como entrada, porções que reúnem três sabores de ceviche ou pescados preparados de maneira distinta são ideais para começar a festa. Ou uma empanada frita de mariscos, sequinha e crocante. No menu de pratos principais, há salmão, merluza, congrio ou reineta, um peixe de carne branca e sabor sutil que só existe na costa chilena.

Mercado apinhado, colorido para os olhos

Divulgação
Imagem: Divulgação

Ah, o Mercado Central. Quem visita Santiago pela primeira vez não resiste à tentação de passar por lá. Prepare-se para a muvuca e para a indiscreta abordagem de garçons que vão insistir para que você escolha o restaurante deles. Incômodo.

A visita vale mesmo para conhecer a variedade de pescados, centollas monumentais e frutos do mar da costa chilena, muitos deles exóticos aos nossos olhos. E para comprar pimentas e temperos típicos como o "merken", que leva pimenta defumada, coentro seco e sal – ótimo para quem gosta de sabores picantes em carnes, peixes e guisados.

Vizinhança peruana e bares repletos de vinhos

Divulgação
Imagem: Divulgação

Outras opções inspiradoras em Santiago passam necessariamente pela cozinha peruana, bem representada no país. O Mestizo fica dentro Parque Bicentenario e, além da comida boa, oferece uma bela vista noturna.

No bairro Bellavista (na foto), com casas tombadas pelo patrimônio histórico do Chile, há lugares para todos os gostos e bolsos. Botecões para tomar uma cerveja gelada e ouvir boa música até restaurantes estrelados como o Peumayen, que usa ingredientes ancestrais da cultura indígena em preparos modernos.

Não esquecendo que o Chile é um grande produtor de vinhos, sua noite pode começar ou acontecer em algum wine bar, como o informal Bocanáriz, no bairro Lastarria, com mais de 150 rótulos e cozinha internacional. Ou o requintado Barrica 94, em Bellavista, onde há de sanduíches a grelhados para harmonizar com suas escolhas.

Um pulo em Valparaíso e Viña del Mar

Sergio Crusco/UOL
Imagem: Sergio Crusco/UOL

Valparaíso fica a 115 quilômetros de Santiago, portanto é fácil programar um bate-volta. Mas quem gosta de praia e peixe bom – e de um clima próprio para o romance – deve considerar a possibilidade de ficar hospedado pelo menos uma noite por lá.

Bagunçada e colorida, a cidade é cercada por morros e uma das primeiras coisas que se tem vontade de fazer é subi-los para apreciar a vista. O Cerro Concepción e o vizinho Cerro Alegre são os destinos mais animados, cheios de bares e restaurantes. A graça do passeio já começa na subida, feita por antigos elevadores funiculares, e, ao chegar ao topo, vale a pena perder-se pelas vielas íngremes com casarões do século 19.

Quando a fome bater, o restaurante Pasta e Vino é um dos mais elogiados do pedaço. O menu privilegia as massas e a boa seleção de vinhos, como o nome indica.

Mas quem vai a Valparaíso com vontade de peixes e frutos do mar tem opções bem fartas à beira do Pacífico, como o popular Proa al Mar. É um lugar colado ao mercado de pescadores da região – o que garante o frescor dos ingredientes. Uma refeição aqui não pode deixar de começar com "machas a la parmesana", molusco de carne rosada preparado com creme de leite e parmesão. O "chupe de mariscos", ensopado com tudo do mar dentro é outra estrela da casa. O ceviche de reineta e salmão (na foto) também é imperdível. 

Viña del Mar está ali pertinho, a cinco quilômetros, e reserva boas surpresas para quem tem hábitos requintados e algum dinheiro no bolso. O passeio pelos jardins da orla já vale a visita, mas os fãs da boa mesa têm porto seguro no Delicias del Mar, de sotaque basco, ou o modernoso Mercado del Mar, com terraço para o oceano.

Salmão e neve nas montanhas

Divulgação
Imagem: Divulgação

Outro passeio clássico no Chile é o Valle Nevado, resort de esqui a 68 km de Santiago. Para quem vai passar o dia, várias empresas fazem o trajeto de van e também alugam roupas e equipamentos próprios para a neve. É bom fazer a subida com um motorista local, pois são mais de 60 curvas delirantes até o destino – e o trajeto fica mais complicado quando neva.

Se você é do tipo que não gosta de aventura, a gastronomia do complexo de hotéis, comandada por Alejandra Cruells, salva o dia. A chef passou um bom período em São Paulo estudando os gostos dos brasileiros – mais de 80% dos hóspedes do resort – e montou os cardápios dos seis restaurantes do Valle Nevado. Os pratos à base de salmão são a especialidade do restaurante La Leñera, mas você pode optar pelo sotaque francês do La Fourchette ou os sabores italianos do Don Giovanni.

PARA QUEM QUISER IR MAIS LONGE

Uma divertida aula de culinária
Para quem busca aulas de culinária, a escola Kitchen Club oferece aulas de um dia, especiais para novatos na cozinha chilena e peruana. Em um ambiente high tech, com utensílios e ingredientes de primeira, a diversão de vestir o avental e colocar a mão na massa fica completa com bons vinhos para harmonizar com os pratos que os alunos preparam e algumas surpresas dos chefs ao longo da aula. Consulte o calendário de aulas e as formas de reserva e pagamento no site da Kitchen Club.

O sabor pela boca de um local
A agência Foody Chile é especializada em tours gastronômicos que revelam a riqueza da comida do país e mesclam sabor, história, arte e cultura num só passeio. No site da empresa há sugestões de trajetos temáticos em Santiago e arredores (praia, campo e vinícolas). Mas os roteiros podem ser customizados ao gosto do viajante ou do grupo.

*O repórter viajou a convite da associação Salmón de Chile

Mais Viagem