menu
Topo

Viagem

Roteiros de luxo

Vizinha de Miami, Palm Beach é o verdadeiro destino ostentação da Flórida

Suzanne Carmick

New York Times Syndicate

07/04/2015 15h32

Desde que o magnata do petróleo Henry Flagler transformou a mata infestada de jacarés conhecida como Lake Worth em um paraíso tropical para o tal do 1% dos mais ricos (afinal de contas, era a Era do Ouro), com hotéis que mais pareciam palácios e uma linha férrea para servi-los, Palm Beach é sinônimo de tudo o que é maior e melhor: fortunas, joias, escândalos.

A ilha de 25 km de extensão que abriga mansões extravagantes, lojas sofisticadas e belas paisagens é rica em história e monumentos importantes, a começar da magnífica Mar-a-Lago (concluída em 1927 para Marjorie Merriweather Post, hoje é o clube particular de Donald Trump) e o Teatro Paramount (antigo cinema que abriga um verdadeiro tesouro em fotos de astros antigos), além da igreja St. Edward's (frequentada pela família Kennedy) e a Green's Pharmacy (lanchonete frequentada por John F. Kennedy).

Por outro lado, Palm Beach, que fica a apenas 115 km de Miami, também é uma preciosidade que oferece pequenos prazeres: você pode andar de bicicleta ou saborear um café em qualquer lugar e nunca vai estar a mais de dois ou três quarteirões da praia. Mesmo a nova Orange Line, que leva os passageiros em bondinhos a destinos artísticos em Palm Beach e a vizinha West Palm Beach, dá um toque simples a essa cidadezinha simpática (e é de graça!). Com o fim da temporada, depois da Páscoa, as vagas de estacionamento e as reservas de restaurantes voltarão a ser abundantes (sem contar os descontos nas refeições e diárias de hotéis), fazendo com que esta talvez seja a melhor época do ano para visitá-la.

SEXTA-FEIRA

16h - Na praia
Compre alguma coisa para comer e vá para a praia. No Amici Market, Maurizio Ciminella, um dos sócios e ex-dono de restaurante, vende de tudo, desde frango Marsala a panini, passando por caviar e champanhe. Leve suas guloseimas à praia pública, onde o pessoal local e os turistas dividem a areia e as ondas, ou siga pelo calçadão (as entradas ficam ao longo do South Ocean Boulevard, entre Royal Palm Way e Hammon Avenue). Ainda dá tempo de alugar uma prancha de SUP por US$20/hora no PB Boys Club, a um quarteirão da praia.

Benja­min Rusna­k/The New York ­Times
Iates suntuosos são elementos constantes na paisagem de Palm Beach Imagem: Benja­min Rusna­k/The New York ­Times

19h - Opções para o jantar
Palm Beach tem muitos restaurantes finos, desde unanimidades tradicionais como o Ta-boo da Worth Avenue, a novidades interessantes como o HMF, no Breakers. Esse, aliás, é um hotel esplêndido que recebe a elite mundial desde 1896 (incluindo os Rockefeller, vários presidentes e Elton John) e lhe dará as boas-vindas em grande estilo. Pare um instante no suntuoso saguão para, a seguir, se dirigir àquele que já foi o elogiado Tapestry Bar, hoje reformado com requinte e transformado no HMF (as iniciais de Henry Flagler), onde o público jovem se reúne para ver e ser visto enquanto consome tapas apetitosos (experimente os pãezinhos de pato bao com ponzu de laranja sanguínea US$23) e coquetéis (como o Redhead, que leva suco de cranberry, licor de laranja e vodca, coberto por uma espuma densa de limão, US$15). Se continuar com fome, o Cucina Dell'Arte serve comida italiana em ambiente animado. Guarde um espacinho para o bacche e zabaione (creme ao Marsala com frutas vermelhas em uma cestinha crocante de amêndoas). Jantar para dois, com vinho, sai por US$120.

22h - Música de fim de noite
Termine a noite com música. No Brazilian Court Hotel, Raquel Williams canta músicas de cabaré no lounge intimista do Café Boulud. No elegante Cafe L'Europe, David Crohan se apresenta magistralmente ao piano e, se sentir vontade de dançar, o Cucina Dell'Arte tem um bar animadíssimo, com direito a bola de espelhos.

SÁBADO

8h - Começando bem o dia
Peça ovos à Benedict com rúcula (US$11) no novo SurfSide Diner, na South County Road, ou escolha entre os pãezinhos franceses e um cappuccino na Patrick Lézém, no prédio do Palm Beach Hotel, na Sunrise Avenue. A seguir, pegue a I-95 a cerca de 40 km ao sul, até Wakodahatchee Wetlands (entrada grátis). Essa reserva artificial, com direito a calçadão e tudo, está lotada de aves aquáticas, jacarés e tartarugas; mais de 140 espécies de pássaros foram identificadas ali, incluindo o colhereiro-americano. Na primavera as fêmeas ficam nos ninhos para cuidar dos filhotes e dá para chegar bem perto. Leve binóculos, chapéu e protetor solar.

11h - Arepas, falafel e muito mais
No caminho de volta, faça uma parada no West Palm Beach GreenMarket. O mercado, extremamente popular, fica na parte revitalizada da orla, transformada em calçadão e palco de eventos anuais como o SunFest, um verdadeiro espetáculo de música (de 29 de abril a três de maio; entre as atrações, The Pixies, Lenny Kravitz e Wilco). Experimente o café do Rabbit Coffee Roasters e depois entre na fila do TocToc Arepas para provar o pernil desfiado ou a arepa de omelete de legumes (US$6,95) que valem toda a espera. Alguém falou em falafel aí? Ali perto, na Fifth Street, em uma lojinha decorada em gesso, o Mediterranean Market & Deli vende opções deliciosas como homus, tabule, azeitonas, pão pita e muito mais. Só para viagem.

Benja­min Rusna­k/The New York ­Times
O Breakers é um hotel esplêndido de Palm Beach que recebe a elite mundial desde 1896 Imagem: Benja­min Rusna­k/The New York ­Times

13h - Ao longo da Worth Avenue
A famosa avenida que abriga lojas de grife, galerias e restaurantes reflete o ressurgimento do estilo mediterrâneo – gesso caiado, telhas vermelhas – introduzido pelo arquiteto Addison Mizner há quase um século. É também o melhor lugar para ver e ser visto, então atenção. Você há de se questionar por que tanta gente vai fazer compra com seus cães enquanto observa os Bentleys e Jaguares disputando vagas de estacionamento. Ah, vale ver as vitrines (e gastar seu dinheirinho suado nos brechós de marca que ficam na esquina da North County e Sunset; tem até uma versão sofisticada da Palm Beach Goodwill). Perca-se nas ruazinhas que saem da via principal, aprecie o borbulhar dos chafarizes e dá até para fingir que está na Itália. Continue a fantasia saboreando uma pizza de massa fina (a frutti di mare, coberta com lula, vieiras e camarão, sai por US$23) no Pizza Al Fresco, um oásis charmoso escondido na Via Mizner, e perceberá que vários modelos exibidos nas lojas da avenida estão às mesas à sua volta. Baixe o mapa da Fundação pela Preservação de Palm Beach (palmbeachpreservation.org) para explorar as riquezas arquitetônicas e as pequenas praças do bairro, principalmente o Pan's Garden. Termine no Colony Hotel (a uma quadra da Worth) para conferir o resultado da reforma ousada por que passou, exibindo cores brilhantes e papel de parede feito de folha de bananeira.

17h - Muita calma
Encontre a serenidade na igreja episcopal em estilo gótico inglês Bethesda-by-the-Sea, construída em 1925. Dê uma volta pelas clausuras e pelo pátio até chegar ao Jardim Cluett, onde pode se sentar em um pequeno gazebo e admirar a fonte e o lago com peixinhos. Ao sair, olhe para cima e tente descobrir as gárgulas no telhado.

19h - Cozinha criativa
Se conseguir reserva no Buccan, meus parabéns! O prestigiado chef Clay Conley combina um ambiente informal animado com porções pequenas e criativas que refletem uma miríade de influências. No cardápio, miúdos crocantes à General Tso (US$17) e cachorro-quente prensado com chucrute, Gruyère, mostarda e pimenta (US$12; opção favorita do baterista do Allman Brothers, Butch Trucks). Jantar para duas pessoas, sem bebidas, sai por aproximadamente US$150. O Imoto, "irmão caçula" do Buccan ali ao lado, serve pratos de inspiração asiática, sushi e sashimi.

22h - Do outro lado da ponte
Na Clematis Street, em West Palm Beach, a vida noturna pode ser bem agitada; afinal, concentra restaurantes, bares lotados e casas noturnas. O novo Alchemist Gastropub serve versões renovadas da famosa "comida de conforto" (o bar serve tirinhas de bacon em vez de amendoim) e atrai o público que acaba de jantar para desfrutar de coquetéis e cervejas artesanais em um clima de speakeasy. Faça uma parada no Pistache French Bistro para absorver o clima parisiense – banquetas vermelhas, madeira escura, acabamento em latão – enquanto beberica um French Pear Martini (licor St. Germain, vodca com pera, champanhe, US$13). O Cafe Centro, no bairro das artes Northwood, atrai o público que aprecia o candelabro enorme de cristal, o piano de cauda e o crooner à la Sinatra.

DOMINGO

8h - Pegue a trilha
Pegue uma mesa na calçada no Nick & Johnnie's para experimentar o Crepe Madame (presunto, Gruyère, ovo frito, US$12) ou a Amazon Bowl (iogurte, quinoa, nozes, frutas, coco, US$16). Depois, alugue uma bicicleta na Palm Beach Bicycle Trail Shop, na Sunrise (US$29 por até quatro horas). Atravesse Bradley Place para pegar a Trilha do Lago, de 9,6 km, e siga para o norte, passando pelo Sailfish Club onde o caminho termina; siga pelo North Lake Way até o Inlet, onde os navios chegam e partem do porto de Palm Beach. No caminho de volta para a cidade, repare nas cercas-vivas esculpidas com capricho ou formando paredes inteiras e nos pelicanos e papagaios que sobrevoam por ali. Siga rumo ao sul através da Royal Poinciana, passe pelo Museu Flagler, casa espetacular de Henry Flagler da Era de Ouro (que dá uma excelente ideia de como vivia um capitão na indústria da virada do século). Pare para admirar a mafumeira de 186 anos e prossiga até o complexo Society of the Four Arts, onde pode explorar o jardim botânico e de esculturas ao redor da biblioteca. Refresque-se sob as árvores das docas – e aproveite para dar uma espiada nos megaiates.

Benja­min Rusna­k/The New York ­Times
O Amici Market vende de tudo, de frango Marsala a caviar e champanhe Imagem: Benja­min Rusna­k/The New York ­Times

Meio-dia - Almoço com bela vista
Instalado no andar superior da sede do Palm Beach Par 3 Golf Course, no melhor estilo Key West, o novo Al Fresco é o restaurante com uma das áreas externas mais belas da região. Você pode apreciar a brisa no deque coberto admirando o mar e provar especialidades italianas como o ravióli Al Fresco (queijo burrata, rúcula, tomate seco e molho de cebolinha, US$21).

13h30 - Pólo, é claro!
O pólo do domingo só começa às três, mas para conferir a experiência completa como os locais, chegue cedo e se misture com o público bem-vestido do International Polo Club, em Wellington. Se preferir o suntuoso brunch com champanhe a US$120 no Pavilion (14h00) ou sentar no gramado (no centro é melhor, US$30), todo mundo se reúne no campo no intervalo para pisotear os torrões e degustar champanhe e sorvete. Use sapatos adequados. Os cavalos de pelo brilhante correndo, o barulho dos tacos se chocando com a bola e a animação da torcida fazem dessa uma experiência única. Ingresso a US$10.

Acomodações

O Brazilian Court (301 Australian Ave., Palm Beach; thebraziliancourt.com), hotel histórico em estilo mediterrâneo já recebeu inúmeros prêmios e elogios desde que foi inaugurado, em 1926. A poucas quadras da praia e da Worth Avenue, abriga o Cafe Boulud e o Frederic Fekkai Salon, além de contar com 80 quartos e uma piscina. A diária dos luxuosos estúdios com cama queen/king size varia de US$559 a US$759 na alta estação, caindo para US$199 no verão. (Não há quartos duplos; uma cama extra pode ser adicionada mediante pagamento de taxa.). Não inclui café da manhã.

Grandview Gardens Bed & Breakfast (608 Lake Ave., West Palm Beach; grandview-gardens.com) é uma pousada estilo bed-and-breakfast com cara de hotel boutique no bairro histórico de Grandview Heights, em West Palm Beach, perto do centro e a 2,5 km de Palm Beach. Muitíssima bem cuidado, em estilo mediterrâneo, tem jardins tropicais, piscina e café da manhã incluído. Há cinco suítes com diárias a partir de US$129 na baixa temporada e US$215 na alta. Rick Rose, um dos donos, é guia de turismo oficial de Worth Avenue e historiador.

Mais Roteiros de luxo