menu
Topo

Viagem

Roteiros para descansar

Conheça dez atrações inusitadas para curtir o Rio Grande do Norte

Eduardo Vessoni

Do UOL, no Rio Grande do Norte

05/03/2015 18h32

Democrático e com geografia exibida, o litoral do Rio Grande do Norte é para todos. Com quase 400 km de praias, esse estado brasileiro abriga destinos como a rústica Galinhos, cujo visual selvagem e o clima pé na areia são capazes de fazer qualquer visitante querer mudar de CEP.

Não muito longe dali, São Miguel do Gostoso - cujo nome já adianta a sensação de ver o Brasil fazer a curva, esportistas se deixam levar pelos ventos alísios que levam e trazem viajantes de todo o mundo. Já o sul potiguar é o endereço provisório de jovens de Natal que, nos finais de semana, lotam Pipa e desfilam pela estreita rua de paralelepípedos do centro da cidade.

Sem falar no o rio que vira mar, diariamente, na Barra do Cunhaú, e nas piscinas naturais a apenas sete quilômetros da praia, em Maracajaú. E assim, entre cenários isolados e destinos descoladinhos, o Rio Grande do Norte é daqueles estados que reúnem todas as possibilidades em um mesmo lugar.

O UOL Viagem rodou o estado de carro de norte a sul e as atrações mais inusitadas que encontramos você confere abaixo.

Gastronomia no mangue
Galinhos e o vizinho distrito de Galos, destinos isolados em uma península estreita de quase 500 metros de largura, são dois dos endereços mais autênticos de todo o litoral potiguar. É ali, entre lagoas, mangues e praias escondidas, que Jr. Tubarão protagoniza o inusitado Passeio Ecológico, a bordo de pequenas embarcações de madeira que percorrem o lado mais selvagem da região.

Autodeclarado o sushiman do manguezal, esse jovem falante é responsável pela captura de ostras e pela preparação das refeições que são servidas em seu barco, onde Júnior prepara sashimi com pescada e ceviche com cavala. Tudo fresco e feito ali mesmo, em uma (bem organizada) cozinha improvisada. Sem falar nos drinques feitos com uísque no coco verde, na caipirinha preparada com ostras e no molho Manguezal, que tempera os pratos com plantas locais.

O passeio de meio dia passa poruma salina local, onde os pequenos grupos desembarcam para “sentir a energia do sal”, faz parada para almoço na exclusiva Gamoré Grande - ilha isolada frequentada apenas por pescadores, e cruza ícones locais, como a lagoa natural da Duna do Capim.

Saiba mais: Jr. Tubarão - Tel.: (84) 9998-2900 e 8115-2772 ou na Pousada Peixe-Galo: www.pousadapeixegalo.com.br

Eduardo Vessoni/UOL
Entre lagoas, mangues e praias escondidas, Jr. Tubarão organiza o Passeio Ecológico Imagem: Eduardo Vessoni/UOL

Visitar uma salina
Entre xique-xiques e dunas móveis, o setor oeste do Rio Grande do Norte guarda uma das experiências mais inusitadas naquelas distantes terras do Nordeste. Conhecida como Polo Costa Branca, a região é famosa pela grande produção de petróleo e de sal.

Neste roteiro destacam-se destinos como Mossoró, famoso pelas salinas, e Macau, considerada um dos maiores produtores de sal do mundo.

Quem desembarca no vilarejo de Galos pode visitar a Salina Diamante Branco, uma das paradas dos passeios de barco pela região. No local, é possível conhecer um pouco mais sobre o processo de produção do sal, como a captação da água do mar, evaporação nos imensos tanques locais, cristalização e estocagem do produto.

Barra do Cunhaú
A gente nunca sabe onde termina o rio e onde começa o mar, mas todo visitante que desembarca por ali faz questão de cair nas águas desse simpático local no sul do estado.

Banhado pelo rio Curimataú e pela praia do Pontal da Boca da Barra, este destino a 80 km de Natal vê diariamente a invasão do mar, rio adentro, formando uma espécie de “encontro das águas”, cujas diferenças de tons podem ser vistas na praia ou em passeios de barco que passam também pelo mangue local.

Esta é uma boa opção para quem quer fugir da agitada vizinha praia de Pipa, cujo acesso se dá através de uma breve travessia de jangada pelo rio Catú até a entrada dessa vila rústica de pescadores, entre Cibauma e Barra do Cunhaú. O destino é conhecido também pela prática de wind e kitesurf (no mar e no rio).

Eduardo Vessoni/UOL
São Miguel do Gostoso oferece também aulas de Stand Up Paddle no mar ou na lagoa Imagem: Eduardo Vessoni/UOL

Stand Up Paddle no paraíso
“Bunda para trás, corpo ereto, mão no topo do remo e duas remadas para ir pra frente”. A professora Virna Schmidt dá as instruções para os novatos.

Considerado um dos melhores pontos do mundo para prática de kite e windsurf, devido aos ventos constantes que chegam a essa região - conhecida como o local “onde o Brasil faz a curva”, São Miguel do Gostoso oferece também tranquilas aulas de Stand Up Paddle no mar ou na lagoa de um hotel-fazenda da região.

A 120 km de Natal, Gostoso não empolga quem procura um destino de águas calmas e cristalinas, mas é, sem dúvida, o melhor endereço para a prática de esportes náuticos.

Para quem não tem intimidade com pranchas ou velas, o destino conta também com passeios a cavalo na praia, que são oferecidos pela Pousada Mar de Estrelas para hóspedes e não-hóspedes.

Saiba mais:
Stand Up Paddle - As aulas com a professora Virna (vvianello@hotmail.com e tel.: 84 9117-1207) são voltadas para pessoas a partir dos 10 anos e têm uma hora de duração.
Passeios a cavalo - www.pousadamardeestrelas.com.br

Pousada sertaneja no litoral
Inaugurado há oito anos, este hotel cenográfico surpreende pela réplica da geografia do sertão em seus nove quartos e nas áreas comuns.

Os proprietários levam a cultura sertaneja para os quartos, onde as paredes externas imitam taipa e a cabeceira das camas dos quartos são pintadas com desenhos de massa acrílica, inspiradas em histórias do Nordeste - obra do artista Kiko Prado, um dos proprietários.

Mas a surpresa está entre os três cajueiros e a casa-jardim com jogos de tabuleiro e livros. É ali que funciona o Museu Casa de Taipa, réplica das famosas casas simples do sertão nordestino que abriga objetos originais doados pela população local, como telhas feitas nas coxas, oratório, colchão recheado de capim seco, ferros antigos a carvão, moringas e lamparinas.

Saiba mais: www.pousadacasadetaipa.com.br

Hospedagem com cachaça em Touros
Quem passa desatento pela estrada de acesso a São Miguel do Gostoso nem se dá conta de que a fachada rústica da Pousada Urca do Tubarão guarda mais do que uma opção tranquila, a 7 km da agitação de Gostoso.

A hospedaria simples, com apenas cinco quartos, abriga uma cenográfica cachaçariacom barris de bebidas envelhecidas por até 2,5 anos. A sala de degustação é decorada com mais de três mil discos de vinil e objetos doados, como um telefone feito em homenagem ao ex-presidente JK e um jogo de secador de cabelo da década de 50. Tudo muito bem organizado pelos simpáticos (e falantes) Lila e Edson Nobre – ele, aliás, se apresenta como “ministro da cachaça”.

Saiba mais: Praia de São José (em Touros) Tel.: (84) 9416-4188.

Eduardo Vessoni/UOL
Lila é uma das proprietárias da Pousada Urca do Tubarão Imagem: Eduardo Vessoni/UOL

Passeio de charrete em Galos
Com 400 habitantese acesso apenas para carros 4x4,o vilarejo de Galos, a 170 km de Natal, conta também com passeios de charretes que começaram bem antes da chegada dos primeiros turistas.

Tradicional meio de transporte da população local entre Galos e Galinhos, esse veículo rústico puxado por jumentos protagonizam os famosos passeios de final de tarde para ver o pôr do sol na Praia do Farol, cuja icônica torre branca e vermelha fincada na areia é tragada pelo mar, em certas horas do dia.

E são essas charretes que servirão como opção de transporte entre Galos e Galinhos (até porque a essa hora você já deve ter esquecido que carros existem e que o seu segue, inútil, estacionado a 20 minutos dali, em Pratagil). Os passeios podem ser contratados no centro de Galinhos.

Pôr do sol com crepe recheado em Pipa
Classificada como um dos destinos mais visitados do Rio Grande do Norte, ao lado de São Miguel do Gostoso e Natal, essa praia do município de Tibau do Sul é conhecida pelos finais de tarde que acontecem diante da Creperia Marinas, que funciona em uma construção de palafitas sobre as águas calmas da Lagoa Guaraíras.

Com mais de 50 sabores de crepes salgados e doces - entre eles charque desfiada, bolonhesa e camarão, só para citar os ingredientes mais improváveis para esse tipo de panqueca, a casa é um atrativo turístico concorrido da região. Mas pode ficar tranquilo que também há opções menos exóticas, como queijo coalho, espinafre com gorgonzola e versões doces com chocolate, avelã e doce de leite.

Saiba mais: Avenida Governador Aluizio Alves, 301, Tibau do Sul. Tel.: (84) 3246-4111. Diariamente, das 11h às 20h

Eduardo Vessoni/UOL
Piscinas naturais do município de Maxaranguape, conhecidas também como parrachos Imagem: Eduardo Vessoni/UOL

Piscina em alto-mar em Maracajaú
E no meio do mar tem uma piscina! Localizadas a 7 km da praia de Maracajaú, as piscinas naturais do município de Maxaranguape (conhecidas também como parrachos) abrigam 13 km² de bancos de corais que formam áreas tranquilas para banho, de acordo com o movimento da maré, onde rochedos despontam em pleno alto-mar.

Neste atrativo preservado como APA (Área de Proteção Ambiental), a 60 km de Natal, é possível praticar snorkel ou mergulhos de batismo, acompanhado de guias contratados no próprio local.

Este destino já foi chamado de “o Caribe brasileiro” e está na lista dos melhores endereços do país para a prática de mergulho livre, cuja profundidade local varia de um a três metros e pode ser explorada também em mergulhos com cilindro, sem a necessidade de certificação.

Saiba mais:www.coraisdemaracajau.com.br

De quadriciclo pelas dunas em Maracajaú
Da emoção de afundar com cilindro, em Maracajaú, para a sensação de vento na cara, ali mesmo, do outro lado da rua. Do mesmo ponto de onde saem os catamarãs para os parrachos partem as expedições sobre dunas, a bordo de quadriciclos automáticos conduzidos pelos próprios clientes. 

A empresa que opera os serviços conta com duas opções de roteiros: de 30 minutos a 1h30 de duração, que podem ser contratados na saída dos barcos para Maracajaú.

* O jornalista Eduardo Vessoni viajou a Galinhos com o apoio da CVC

Mais Roteiros para descansar