menu
Topo

Viagem

Roteiros culturais

Mais que balada: Ibiza combina história e natureza e é Patrimônio Mundial

Felipe Floresti

Do UOL, em Ibiza (Espanha) *

29/07/2014 22h35

Escolhida por Neymar como destino de férias pós-Copa, Ibiza é conhecida mundialmente por suas grandiosas festas de música eletrônica, mas ela é muito mais do que isso. Essa pequena ilha no mar Mediterrâneo tem história marcada por sucessivas conquistas e invasões, desde fenícios e romanos a hippies e turistas, deixando marcas em sua arquitetura e modo de vida, que tem na liberdade sua principal característica.

Desde 1999 a ilha é considerada Patrimônio Mundial pela Unesco, graças à sua biodiversidade e cultura. Sítios arqueológicos, como o de Sa Caleta e da gruta de Es Cuiram, e os fortes espalhados pela costa da ilha contribuem ao reconhecimento.

Localizada a pouco menos de 300 km do norte da África, a cidade foi fundada pelos fenícios no longínquo ano de 654 a.C.. Como herança, ainda encontra-se no centro antigo da cidade a necrópole de Puig des Molins, considerada a maior e mais bem preservada da cultura fenícia-púnica.

Mas é na parte amuralhada que ficam as ruínas mais impressionantes de Ibiza. Bastante concorrida por diversas civilizações por sua posição estratégica no mar Mediterrâneo e pela abundância de sal – produto de alto valor comercial na época – a cidade era alvo constante de ataques.

Felipe Floresti/UOL
A praia de Comte é considerada uma das mais bonitas de Ibiza Imagem: Felipe Floresti/UOL

Romanos, vândalos e árabes trabalharam na construção de defesas para a cidade no período que a dominavam, mas foi o rei da Espanha Felipe 2° que, no século 16, ordenou a construção das muralhas na configuração que se encontram atualmente, protegendo a cidade de ataques otomanos e de piratas. Dalt Vila, ou "Cidade Alta" em catalão, ainda abriga no topo uma catedral que mistura arquitetura gótica e renascentista dedicada à padroeira da cidade, Nossa Senhora das Neves.

Natureza
As belezas naturais da ilha também merecem destaque. A possidônia oceânica é uma espécie de gramínea marinha da região do Mediterrâneo. Uma imensa colônia de 8km de extensão e cerca de cem mil anos de idade circunda a ilha de Ibiza e sua vizinha, Formentera, formando o maior e mais antigo ser vivo do planeta. Essa história se torna muito mais interessante quando observa-se os efeitos dessa planta gigante na ilha: ela filtra a água e retém as impurezas, tornando o mar que banha as duas ilhas incrivelmente cristalino.

São mais de 50 praias em Ibiza, oferecendo opções de lazer para todos os gostos e perfis. Badaladas, nudistas, desertas ou para o público GLS. Tem de tudo. A praia de Comte, no extremo oeste da ilha, é considerada uma das mais bonitas. Formada por diversas prainhas, uma delas voltada ao nudismo, tem as ilhas de Bosc e S'Espartar como pano de fundo na paisagem. Já na praia de Ses Salinas as principais atrações são seus visitantes. Ela é famosa por receber celebridades que frequentam a ilha, enquanto a praia d'en Bossa é mais procurada por quem busca um clima de festa à beira mar.

Divulgação/Café del Mar
O pôr do sol visto da frente do Café del Mar é um dos mais concorridos da ilha Imagem: Divulgação/Café del Mar

Outro local bastante concorrido é a praia de Cala d'Hort, a sudoeste da ilha. De suas areias é possível visualizar a ilha de És Vedrà, um rochedo de quase 400m de altitude que emerge do mar, mais ou menos como o Morro dos Dois Irmãos em Fernando de Noronha.

A ilha é cercada de lendas e mitos. Já foi apontada como habitat de sereias e ninfas, local de nascimento da deusa fenícia Tanit, ponto de aterrisagem de ovnis, a ponta do continente perdido de Atlantis e até já foi dito que suas pedras foram utilizadas para a construção das pirâmides do Egito. Acredite ou não nas lendas, vale a visita ao lugar, principalmente durante o pôr do sol, um dos mais espetaculares da ilha.

Quem busca paisagens mais naturais e praias reservadas tem a opção de pegar um barco até a ilha de Formentera, três quilômetros ao sul da ilha. São 20km de praias em que a preservação do ecossistema é a principal preocupação. A ilha costuma receber muitos artistas e artesãos, atraídos pela possibilidade de contato com a natureza e o astral mais relaxado e liberal. É mais ou menos o que costumava ser Ibiza há algumas décadas, quando o movimento hippie chegou por lá.

Ibiza livre
Alex Alegria, como gosta de ser chamado, é brasileiro e se gaba de ser o dono do único bar verde-amarelo da ilha. Morador de Ibiza há cerca de 20 anos, coloca na liberdade a culpa pela falta de vontade de voltar para casa. “Aqui você pode fazer o que quiser. Só ficando aqui para entender”, conta. “Ninguém se importa com quem você é, de onde vem, sua classe social, sua sexualidade. Aqui você pode ser o que você quiser ser”.

Getty Images
Ilha de Formentera tem areia branca e mar cristalino. Na foto, praia de Cala Salona Imagem: Getty Images

Hoje Ibiza é o destino dos sonhos para djs e fãs da música eletrônica e gaba-se de ter algumas das melhores festas do mundo. A Pacha segue sendo uma das principais referências. É a única que não fecha durante o inverno e se destaca com festas como a "F*** me I'm Famous", produzida pelo dj francês David Guetta. No Amnesia acontecem as famosas festas da espuma.

As festas mais concorridas atualmente estão no Ushuaia, uma espécie de hotel-balada. Tem decoração extravagante e psicodélica e o preço pode assustar: uma suíte com vista pode custar mais de dois mil euros a diária, enquanto uma simples cerveja custa 12 euros.

Para quem não é tão chegado em música eletrônica, o recém-inaugurado Hard Rock Hotel é opção. Com conceito semelhante a um hotel-balada, aposta em festas mais voltadas ao pop e rock. A decoração é um dos maiores atrativos, expondo relíquias de artistas que já passaram pela ilha, como Lady Gaga, Freddie Mercury, Sid Barret (do Pink Floyd) e os Beatles Ringo e Jonh Lennon.

* O jornalista viajou a convite da CVC, do Grand Palladium e da Air Europa

Mais Roteiros culturais