menu
Topo

Viagem

Roteiros para badalar

São Miguel do Gostoso tem belas praias, esportes e curtição dia e noite

Renata Gama

Do UOL, em São Miguel do Gostoso

04/11/2013 11h57

São Miguel do Gostoso entrou forte no mapa turístico do Rio Grande do Norte por causa dos kitesurfistas e windsurfistas, que encontraram nos ventos daqui o ponto ideal para suas manobras no mar. Em torno desses esportes, um circuito de escolas de esportes de vela, pousadas, restaurantes e lanchonetes rústicos e charmosos surgiu nas praias Ponta de Santo Cristo e Cardeiro. O clima é de curtição: durante o dia, a pegada é radical; à noite, luau na areia e forró pé de serra dão o clima no verão.

Mas a região tem atrativos de sobra para turistas que, à parte o esporte, querem mais é descansar, conhecer belas paisagens e degustar boa culinária. A praia de Tourinhos, por exemplo, é de um visual natural raro. Aqui, as falésias são rochosas, uma formação diferente da encontrada nas demais praias do litoral do RN. Esculpidas pelo vento, as pedras ganham formas imponentes, que lembram tótens e figuras animalescas.

De um lado, o paredão cerca uma enseada de águas esverdeadas, transparentes e rasinhas, ideais para banhos relaxantes. Do outro, ao longe, a visão é de um parque eólico. A porção de areia plana e extensa também convida para esticar o corpo e contemplar a beleza do lugar. A praia é rústica, sem infraestrutura para receber turistas. O movimento habitual é de pescadores na baixa temporada e de visitantes nos dias de movimento. Há apenas algumas cabanas onde se pode comprar bebidas nos dias mais agitados.

Já a praia do Marco é um ponto histórico da região. Ali foi fincado o Marco de Touros, uma demarcação da colônia portuguesa da época do descobrimento para atestar os territórios encontrados. Considerado um dos monumentos mais antigos do Brasil, é um dos primeiros registros da colonização.

O monumento atualmente está preservado no Farol dos Reis Magos, em Natal. Na praia do Marco foi deixada uma réplica no lugar. Mas quem chega ao lugar na expectativa de fazer um passeio histórico encontra a reprodução do monumento mal conservada. A bela visão, no entanto, compensa a ida. A desértica praia de pescadores é paradisíaca e a formação de arrecifes criam áreas para banho.

Na vila de São Miguel do Gostoso outra curtição é comer. Nesse sentido, o lugar faz bom uso do nome “Gostoso” e reúne casas que oferecem culinária regional e internacional. Na praia da Xepa, uma das mais centrais, o restaurante Jardim do Seridó, por exemplo, ousa ao misturar os temperos regionais aos mexicanos.

Já a Urca do Tubarão, no caminho de volta para Natal, em Touros, é ponto de parada tradicional. A mistura de restaurante, cachaçaria artesanal e antiquário é um lugar pitoresco e curioso. Adepta do slow food, a casa serve camarão ao molho, peixada e fritadas para serem degustadas com calma. “O pessoal chega e para aqui umas três horas”, calcula Edson Nobre, o anfitrião e mestre em contar histórias que divertem os visitantes. 

Mais Roteiros para badalar