menu
Topo

Viagem

Roteiros para descansar

Com música, lendas e natureza, São Thomé das Letras é recanto hippie em MG

Marcel Vincenti

Do UOL, em São Thomé das Letras (MG)

17/09/2013 07h56

Cidade com nome religioso e alma hippie, São Thomé das Letras ocupa há tempos o imaginário de viajantes alternativos brasileiros. Lendas de extraterrestres, duendes, curandeiros e passagens subterrâneas para Machu Picchu povoam a história desse montanhoso município mineiro de sete mil habitantes, localizado a 350 quilômetros de São Paulo e de Belo Horizonte. E seja tudo isso -- ou não -- papo de doidão, uma coisa é certa: as belezas naturais e históricas do local são, sem dúvida, capazes de inebriar o mais careta dos turistas.

São Thomé das Letras é um dos municípios mais altos do país -- está situado a 1.450 metros sobre o nível do mar -- e exibe aparência pitoresca: encontra-se cercado pela Serra da Mantiqueira e tem ruas e casas construídas com blocos de quartzito (o que lhe confere um interessante ar medieval). Erguida no centro da cidade, no meio de uma agradável praça com coreto e frondosas árvores, a Igreja Matriz, com sua chamativa cor amarela, é o grande símbolo do município. 

O edifício, construído em 1785 com arquitetura barroca, abriga altares em estilo rococó e pinturas do artista Joaquim José da Natividade. E ao seu lado está a gruta que, reza a lenda, deu origem à cidade. Foi lá que, em meados do século 18, o escravo João Antão, fugido de uma fazenda da região, teria recebido, das mãos de um misterioso homem, uma carta que, se levada ao seu senhorio, lhe conseguiria perdão e liberdade.  

Assustado, o escravo levou o documento e o relato para o seu patrão, que, tocado, foi ele próprio até a gruta conferir a veracidade da história. Lá ele teria encontrado uma estátua do apóstolo São Tomé, que se tornaria sagrada e motivaria a construção da atual igreja matriz do município.

  • Marcel Vincenti/UOL

    Moradores e turistas de São Thomé das Letras brincam na praça central da cidade mineira

Hoje, o interior da gruta é uma das principais atrações turísticas da cidade e, de seu cume, aberto à visitação, o turista tem uma linda visão do vale que cerca a região.

Mirantes, aliás, são um artigo encontrado em abundância em São Thomé das Letras. E os melhores deles estão no Parque Municipal Antônio Rosa, cuja entrada se localiza a 500 metros da igreja matriz e que abriga, em seus cumes, três outros símbolos da cidade: o Cruzeiro, a Pedra da Bruxa e a Pirâmide (que, na verdade, é uma simples casa construída com quartzito).

A tais locais acorrem, todos os finais de tarde, dezenas de moradores e turistas para, à luz do crepúsculo, tocar violão, ver apresentações de pirotecnia e assistir ao sempre belíssimo pôr-do-sol da Serra da Mantiqueira. A cena é romântica para os casais, inspiradora para os músicos de plantão e altamente lucrativa para os vendedoras ambulantes, que aproveitam a comoção para comercializar cerveja, água e doces caseiros.

Cavernas e cachoeiras

São Thomé das Letras é, acima de tudo, um lugar que coloca o visitante em contato a natureza: na região da cidade há mais de uma dúzia de cachoeiras e cavernas que, com certeza, irão fascinar os amantes do ecoturismo. A cachoeira Véu da Noiva, por exemplo, localizada a 12 quilômetros do centro da cidade, tem uma queda de aproximadamente oito metros de altura.

Já a Gruta do Carimbado é, segundo muitas lendas, o início de uma passagem subterrânea que chegaria até Machu Picchu, no Peru. Aventureiros, cientistas e até uma equipe de televisão já tentaram fazer a hipotética travessia, mas não conseguiram superar a escuridão, o ar rarefeito e as altas temperaturas do interior da caverna.

  • Marcel Vincenti/UOL

    A cidade de São Thomé das Letras está cercada por mais de uma dúzia de cachoeiras

O entorno da cidade, muito montanhoso, ainda oferece grandes oportunidades para a prática de esportes radicais, como escaladas, rapel e canyoning. Recomenda-se, porém, a contratação de um guia para a prática de qualquer uma dessas atividades.   

Engana-se, entretanto, quem pensa que São Thomé das Letras é um destino só para hippies, místicos ou aventureiros. A cidade é também visitada por famílias, idosos e casais em clima de lua-de-mel. E todos são muito bem recebidos: a área que rodeia a igreja da matriz está recheada de bons restaurantes, hotéis confortáveis e lojas com belos artesanatos.

O segredo, em São Thomé, é saber se juntar a outras tribos e, assim, desfrutar de um dos mais instigantes destinos de Minas Gerais             

CENTRO DE INFORMAÇÃO AO TURISTA EM SÃO THOMÉ
Rua José Cristiano Alves, 6
(35) 3237-1276

COMO CHEGAR DE CARRO
De São Paulo: Pegar rodovia BR-381 sentido Belo Horizonte e, já em Minas Gerais, entrar na BR-491 no sentido da cidade de Três Corações. De lá, entrar na rodovia MG-167 até Bento de Abade. Após 25 km, virar à direita e percorrer 18 km até a cidade de São Tomé das Letras. Distância aproximada: 350 km.

De Belo Horizonte: Pegar rodovia BR-381 sentido São Paulo e entrar na BR-491 no sentido da cidade de Três Corações. De lá, entrar na rodovia MG-167 até Bento de Abade. Após 25 km, virar à direita e percorrer 18 km até a cidade de São Tomé das Letras. Distância aproximada: 340 km.

Do Rio de Janeiro: Pegar rodovia BR-116 sentido São Paulo até a cidade de Itatiaia (RJ). De lá, entrar na BR-354 até Caxambu (MG) e depois tomar a BR-267 até Cumbuquira (MG). Entrar na MG-167, passar por Três Corações (MG), virar à direita após 25 km e percorrer 18 km até São Tomé das Letras.  Distância aproximada: 430 km.

COMO CHEGAR DE ÔNIBUS
Os ônibus oriundos de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte só vão até a cidade de Três Corações (MG). De lá, o viajante deve tomar outro ônibus -- em uma viagem que dura cerca de 1h30 -- até São Thomé das Letras.

Expresso Gardênia (sai de Belo Horizonte)
0300 313 2020
www.expressogardenia.com.br

Viação Santa Cruz (sai de São Paulo)
0800 888 0809
www.gruposantacruz.com.br


 

Mais Roteiros para descansar