Diferentemente do que se imagina, o transporte público em Los Angeles existe e é eficiente. Há dois tipos de ônibus: o Dash e o Metro. O primeiro é um circular de bairro, custa US$ 0,50 e funciona em áreas específicas. No site www.ladottransit.com/dash há todas as linhas e áreas em que circula. Já o Metro sai por U$ 1,50, mas atravessa a cidade. Outra opção é comprar o cartão TAP, que custa US$ 2. Com ele, você apenas recarrega quando quiser - diretamente com o motorista ou no site do Metro (www.metro.net), que também permite criar rotas de passeio. Com o TAP em mãos, coloque US$ 5 de crédito e compre o passe diário de ônibus, que permite livre circulação até as 3h da manhã. Detalhe: o TAP também funciona com o Dash.

Ainda assim, considere fortemente alugar um carro. Tudo em Los Angeles é longe e leva tempo. Mesmo que haja trânsito (e há muito) na cidade, o uso de carro com a família é mais confortável. As principais vias expressas possuem uma faixa exclusiva para quem possui ao menos um carona. São as chamadas "Car Pool". Ou seja, para quem viaja com campanhia, fica mais fácil escapar dos congestionamentos. O aluguel de carro na cidade custa pouco. Um modelo compacto, que comporte cinco pessoas e até quatro malas, pode ser encontrado por menos de US$ 300 a semana.

Em contrapartida, parar o carro em certas áreas custa bastante. A média dos estacionamentos públicos é de US$ 10 a diária, mas pode chegar a US$ 30 dependendo do bairro. Vagas na rua são raras, mas quando achadas têm limite de 1h de uso. Depois disso é preciso renovar o período no parquímetro.

Táxi, embora exista, é desaconselhado. As longas distâncias tornam o preço abusivo. De toda forma, táxis não são encontrados na rua como em outras grandes cidades. Em Los Angeles você deve contratar o serviço pelo telefone. Neste site www.taxicabsla.org há as informações necessárias para usar os serviço.

Como chegar

O LAX (Los Angeles International Airport) está localizado 29 km a sudoeste de Downtown (centro da cidade). Um táxi (www.la-taxi.com) do aeroporto ao centro custa, em média, U$ 45, mas é possível ir de ônibus (FlyAway), que sai por U$ 4 e tem serviço "non-stop" (sem parada) a cada 30 minutos, saindo da Union Station, de Westwood e do Van Nuys Regional Airport. O trajeto desses locais até o LAX leva, em média, 40 minutos. Outra opção é o Blue Shuttle (www.blueshuttle.com). Por U$ 15, a empresa pega o turista no hotel e deixa no aeroporto, sem paradas.

Rodovias
Há quatro principais rodovias que levam a Los Angeles: a State Highway 1, a Federal Highway 101 e as Interstate Highways I-5 e I-15.
Elas ligam o município a São Francisco, Sacramento (capital da Califórnia) e a cidades costeiras, como Santa Barbara e Santa Monica (ao norte), Anaheim (onde fica a Disneylândia), Long Beach e San Diego (ao sul), Las Vegas (a nordeste).

De San Francisco (560 km ao norte), há três opções: pela Highway 1, que percorre toda a costa oeste da Califórnia, com vista para o oceano Pacífico; pela US 101 ou pela I-5, mais rápidas. De Santa Barbara (a 140 km), deve-se pegar a 101.

De San Diego (200 km), a melhor opção é a I-5, que também leva a Anaheim (50 km de Los Angeles). De Las Vegas (450 km), deve-se pegar a I-15.

Trem
Metro (Metropolitan Transportation Authority) - Transporte intermunicipal que cobre o centro e a região metropolitana de Los Angeles. Tem cerca de 50 estações. Veja mapa em www.metro.net/riding_metro/maps/default.

Amtrack - Companhia de transporte interestadual, com cerca de 500 estações no país. Cobre aproximadamente 50 Estados. Veja mapa de serviços do Amtrak no site www.amtrak.com.

Qual a melhor época para ir?

Los Angeles tem clima ameno praticamente o ano inteiro. Como chove pouco, o ar seco exige que você tenha sempre uma garrafinha de água em mãos, independentemente da estação. Entre abril e outubro o céu costuma ser mais aberto, com sol na maior parte do período.

Informações úteis

Idioma: Inglês é o idioma oficial de todo o território norte-americano. Em Los Angeles, como em toda a Califórnia, fala-se também o espanhol na maioria dos bares, restaurantes e hotéis, por causa da grande concentração de imigrantes latinos. Segundo dados de 2007 do Los Angeles Convention and Visitors Bureau, 47,3% dos residentes da cidade têm origem latina ou hispânica.

Fuso horário: Entre março e outubro, o fuso horário é de quatro horas a menos do que o horário de Brasília. Quando o Brasil entra no horário de verão, o fuso sobe para cinco horas. Normalmente entre novembro e fevereiro, os EUA atrasam os ponteiros do relógio em uma hora. Nesse período, o fuso é de seis horas.

DDI: 1

Códigos de acesso da cidade: 213 é o código de área do centro (Downtown) de Los Angeles. Há outros para os subúrbios e para as cidades da Grande LA:
310 - Beverly Hills, Catalina Island, Westwood, Malibu e Santa Monica
323 - Hollywood
562 - Long Beach
626 - Pasadena
714 - Anaheim e Huntington Beach
818 - San Fernando
909 - San Bernardino

Telefone: Para ligar de Los Angeles para o Brasil deve-se discar 011 55 antes do DDD da cidade e do número de telefone. Para telefonar para outras cidades dos Estados Unidos é preciso discar 1 antes do código de área da cidade e do número do local.

Telefone local de emergência: 911 (para emergências médicas, incêndio e polícia)

Informações turísticas: Para obter informações sobre atrações, tours, hotéis e reservas de carros, o turista pode ligar gratuitamente, de Los Angeles, para (800) 228-2452. Para saber sobre transportes, o número é (800) 266-6883.

Mapas da cidade e das linhas de ônibus e de metrô, guias e cupons de desconto são distribuídos gratuitamente nos centros de informações turísticas, que ficam em Downtown e em Beverly Hills. Há ainda mais quatro unidades de atendimento nos arredores e nas cidades costeiras. Os centros podem ser acessados, por telefone, desde o Brasil.

Downtown: 685 Figueroa St. (entre Wilshire Boulevard e a 7th St.). De seg. a sex., das 9h às 17h. Tel: 1 (213) 689-8822. www.lacvb.com

Beverly Hills: 239 S. Beverly Drive, Beverly Hills, CA 90212. De seg. a sex., das 8h às 17h. Tel: 1 (310) 248-1015. www.beverlyhillsbehere.com

Santa Mônica: Em três endereços:
1.920 Main Street, Suite B, Santa Monica, CA 90405 . Diariamente, das 9h às 18h. Tel: 1 (310) 393-7593. www.santamonica.com

Palisades Park at 1.400 Ocean Avenue. Tel: 1 (310) 393-7593. Das 9h às 17h (no inverno, das 10h às 16h).

Third Street (no segundo quarteirão do Promenade, entre Santa Monica Boulevard e Arizona Avenue). Das 11h às 17h.

Long Beach: Long Beach World Trade Center at World Trade Center and Ocean.
Tel: 1 (800) 452-7829 www.visitlongbeach.com

Anaheim (Disneylândia): 640 W. Katella Ave., Anaheim, CA 92802. Tel: 1 (714) 239-1340 www.anaheim411.com

Moeda: Dólar americano. Veja a cotação em economia.uol.com.br/cotacoes/

Câmbio: Para trocar travelers cheques em Los Angeles, procure as agências American Express, que não cobram para trocar os cheques da própria marca. As agências centrais de grandes bancos também fazem o câmbio, mas cobram comissão de 0,50% a 2,5% sobre o valor trocado, ou taxa de US$ 10 a US$ 30, por transação. O horário de funcionamento dos bancos é flexível, mas a maioria funciona de segunda a sexta, das 9h às 17h, e aos sábados, das 9h às 14h. Quem tem cartão de débito internacional pode usar os caixas eletrônicos ATM para retirar dólares. Há um limite diário que varia de US$ 200 a US$ 300, sem cobrança de IOF.

Gorjetas: As gorjetas nos EUA não são incluídas na conta, mas é praxe pagar entre 15% e 20% sobre o valor total gasto em restaurantes, bares, corridas de táxi e salões de beleza. Normalmente, os clientes dão 16%, o dobro do valor do imposto cobrado pelo Estado da Califórnia, que é de 8,5% e que vem incluído nas notas fiscais de qualquer produto ou serviço. Deixa-se de pagar a gorjeta quando o serviço é muito ruim.

Correios: Os post offices (agências dos Correios) estão espalhados por toda a cidade e funcionam de segunda a sexta, normalmente, das 8h às 16h. Algumas agências abrem aos sábados, das 10h às 17h.

Internet: O acesso à internet pode ser obtido em quase todos os hotéis, bares e cafés. Muitos oferecem acesso gratuito e conexão rápida e sem fio. Normalmente, há avisos de "Wireless Hotspot" ou "Free Internet".

Segurança: Turistas devem evitar Downtown e East Hollywood à noite. Na área conhecida como South Central, nome genérico dado a algumas zonas do centro de LA, há histórico de violência entre gangues. South Central Los Angeles ou apenas South Los Angeles fica ao sul de Downtown, entre Inglewood e Compton. A área abriga alguns dos bairros mais antigos da cidade. É onde fica a University of South California.

Nos feriados e em locais boêmios, a polícia costuma parar os carros para checar se o motorista está alcoolizado. Para pessoas de baixa estatura, uma taça de vinho é suficiente para o motorista ser detido e ter a carteira e o carro apreendidos. É proibido beber dentro dos carros (mesmo no banco do passageiro). Também é proibido fumar e beber na maioria das praias de Los Angeles. Nas ruas, fumantes devem ficar a uma distância de pelo menos 25 metros dos prédios públicos.

Voltagem e tomadas: A voltagem mais comum é de 110 volts, mas há hotéis e residências que usam também a de 220 volts. As tomadas têm dois pinos planos, um mais largo e outro mais estreito. Recomenda-se levar um adaptador caso esteja com algum eletrônico brasileiro na viagem, como laptop, ferro de passar roupa ou secador de cabelo.

Pesos e medidas: Nos EUA, em vez de graus centígrados, mede-se a temperatura em Fahrenheit. Em lugar de quilo, usa-se libra para peso. E, em vez de quilômetros, calcula-se distância em milha. Litros devem ser convertidos em galões. Veja a equivalência.

1 milha = 1,61 km
1 lb. = 453,59 g
1 galão = 3,787 litros
32F = 0ºC

Visto: Para solicitar um visto de turista para os EUA, é preciso acessar o site https://ceac.state.gov/genniv/default.aspx, preencher o formulário DS-160 e pagar uma taxa única de US$ 160 (valor não reembolsável em caso de negativa do visto). O pagamento pode ser feito diretamente pelo site do agendamento, em dinheiro nas agências do Citibank ou por boleto bancário.

Agora há dois processos a seguir. O primeiro é agendar a coleta de dados biométricos (foto e impressão de digitais) em um CASV (Centro de Atendimento ao Solicitante de Visto). Leve o passaporte e a confirmação do formulário DS-160. Pessoas com mais de 66 anos ou menos de 15 não precisam coletar as digitais, apenas entregar uma fotografia 5x7 e a página de confirmação do DS-160.

O segundo passo é marcar a entrevista na Embaixada, no Distrito Federal, ou nos consulados do Rio de Janeiro, São Paulo e Recife. Recomenda-se agendar a entrevista com pelo menos dois meses de antecedência. Mais informações aqui.

Controle de imigração: Conseguir visto de turista não garante a entrada nos EUA. Os oficiais de imigração podem mandar o visitante de volta para casa caso tenham motivos para acreditar que se trata de um terrorista ou de alguém que tem intenção de morar ou trabalhar ilegalmente no país. O antigo formulário I-94 (aquele papelzinho branco que era entregue durante o voo) foi extinto.

Dicas de quem já foi

Atrações

Cursos Online
UOL Cursos Online

Últimas notícias

UOL Cursos Online

Todos os cursos