A menos que você pretenda visitar o Grand Canyon, que fica a 450km de Las Vegas, o aluguel de um carro pode ser dispensado. A grande fatia de diversão da cidade se concentra em uma única avenida. É justamente nela, conhecida como Strip, onde tudo acontece: casas noturnas, restaurantes conceituados e capelas para casamentos de última hora. É possível fazer tudo a pé (com cautela no verão, porque a temperatura passa facilmente a casa dos 40º e o clima é seco, por conta do deserto).

Pensando nisso, a "Cidade do Pecado" tem um prático sistema de transporte público no qual se destaca o "The Deuce", um ônibus de dois andares com ar condicionado que faz paradas estratégicas em cada hotel da Strip a cada 15 minutos. Além de limpo e seguro, o Deuce também é econômico, pois oferece um passe ilimitado de 24 horas. Tarifas detalhadas podem ser encontradas no site da Comissão Regional de Transporte do Sul de Nevada: www.rtcsouthernnevada.com/transit/fares_passes.cfm

Uma outra maneira de se locomover entre os cassinos é utilizando o Monorail, um pequeno trem que tem estações nos hotéis da Strip. www.lvmonorail.com

Como chegar

A melhor pedida é alugar um carro no próprio aeroporto.

Aeroportos
O McCarran International Airport está localizado a poucos minutos de carro da Las Vegas Boulevard, sendo possível avistar alguns dos grandes hotéis da Strip de dentro do avião na hora do pouso. Táxis e serviços de shuttle e limusines estão disponíveis no local, além de agências de aluguel de carro.

Rodovias
A principal rodovia que liga Las Vegas a outras partes dos EUA é a I-15, que passa pelos estados de Montana, Idaho, Utah e pelo sul da Califórnia. A viagem de carro entre Los Angeles e Las Vegas é bem popular entre os turistas. O trajeto que corta o deserto até a cidade tem cerca de 450 quilômetros. Uma boa dica para o motorista é encher o tanque do automóvel antes de sair da Califórnia porque postos de gasolina são difíceis de encontrar ao longo da viagem. Uma peculiaridade americana é que nos postos raramente há frentistas, então os próprios motoristas têm de encher o tanque do carro.

Qual a melhor época para ir?

A menos que você realmente goste de tostar, evite o verão. É quente e seco demais, o que pode tornar seu passeio cansativo. Prefira as estações mistas, como primavera (de abril a junho) e outono (setembro a novembro). Independentemente da escolha, lembre-se que a região é desértica, o que significa que durante a noite a temperatura despenca. É sempre bom ter um agasalho por perto. 

Informações úteis

Idioma: Inglês é o idioma oficial de todo o território norte-americano.

Fuso horário: Entre fevereiro e outubro, quando o horário de verão de Las Vegas está em vigor, a diferença para o Brasil é de menos quatro horas. De novembro a fevereiro, a diferença é de menos seis horas.

Site do país: www.usa.gov
Site de turismo do país: www.discoveramerica.com.br
Site da cidade de Las Vegas: www.lvcva.com e www.visitlasvegas.com
Centro de informações para visitantes: 3150 Paradise Road, tel. 1 (702) 892-7575. Aberto diariamente, das 8h às 17h.
Consulado do Brasil: 80 SW 8th Street, 26º andar, Miami, tel: (305) 285-6200 - miami.itamaraty.gov.br/pt-br

DDI: 1

Códigos de acesso da cidade: 702

Telefone: Para ligar de Las Vegas para o Brasil deve-se discar 011 55 antes do DDD da cidade e do número de telefone. Para telefonar para outras cidades dos Estados Unidos é preciso discar 1 antes do código de área da cidade e do número do local.

Telefone local de emergência: 911 (para emergências médicas, incêndio e polícia)

Moeda: Dólar americano. Veja a cotação em economia.uol.com.br/cotacoes/

Câmbio: Quem tem cartão de débito internacional pode usar os caixas eletrônicos ATM para retirar dólares. Há um limite diário que varia de US$ 200 a US$ 300, sem cobrança de IOF.

Gorjetas: As gorjetas nos EUA não são incluídas na conta, mas é praxe pagar entre 15% e 20% sobre o valor total gasto.

Correios: Os post offices (agências dos Correios) estão espalhados por toda a cidade e funcionam de segunda a sexta, normalmente, das 8h às 16h. Algumas agências abrem aos sábados, das 10h às 17h.

Internet: O acesso à internet pode ser obtido em quase todos os hotéis, bares e cafés. Muitos oferecem acesso gratuito e conexão rápida e sem fio. Normalmente, há avisos de "Wireless Hotspot" ou "Free Internet".

Segurança: Segura para quem caminha pela Strip até o Stratosphere. Após este hotel, a cidade fica um pouco mais perigosa. Dirigir pela Strip é complicado por causa do grande número de veículos que circulam ali o dia todo. Engarrafamentos são comuns até na madrugada. Tome cuidado também com os motoristas embriagados.

Voltagem e tomadas: A voltagem mais comum é de 110 volts, mas há hotéis e residências que usam também a de 220 volts. As tomadas têm dois pinos planos, um mais largo e outro mais estreito. Recomenda-se levar um adaptador caso esteja com algum eletrônico brasileiro na viagem, como laptop, ferro de passar roupa ou secador de cabelo.

Pesos e medidas: Nos EUA, em vez de graus centígrados, mede-se a temperatura em Fahrenheit. Em lugar de quilo, usa-se libra para peso. E, em vez de quilômetros, calcula-se distância em milha. Litros devem ser convertidos em galões. Veja a equivalência.

1 milha = 1,61 km
1 lb. = 453,59 g
1 galão = 3,787 litros
32F = 0ºC

Visto: Para solicitar um visto de turista para os EUA, é preciso acessar o site https://ceac.state.gov/genniv/default.aspx, preencher o formulário DS-160 e pagar uma taxa única de US$ 160 (valor não reembolsável em caso de negativa do visto). O pagamento pode ser feito diretamente pelo site do agendamento, em dinheiro nas agências do Citibank ou por boleto bancário.

Agora há dois processos a seguir. O primeiro é agendar a coleta de dados biométricos (foto e impressão de digitais) em um CASV (Centro de Atendimento ao Solicitante de Visto). Leve o passaporte e a confirmação do formulário DS-160. Pessoas com mais de 66 anos ou menos de 15 não precisam coletar as digitais, apenas entregar uma fotografia 5x7 e a página de confirmação do DS-160.

O segundo passo é marcar a entrevista na Embaixada, no Distrito Federal, ou nos consulados do Rio de Janeiro, São Paulo e Recife. Recomenda-se agendar a entrevista com pelo menos dois meses de antecedência. Dúvidas podem ser tiradas no site oficial de informações de visto para brasileiros que vão aos Estados Unidos

Controle de imigração: Conseguir visto de turista não garante a entrada nos EUA. Os oficiais de imigração podem mandar o visitante de volta para casa caso tenham motivos para acreditar que se trata de um terrorista ou de alguém que tem intenção de morar ou trabalhar ilegalmente no país. O antigo formulário I-94 (aquele papelzinho branco que era entregue durante o voo) foi extinto.

Dicas de quem já foi

Atrações

Cursos Online
UOL Cursos Online

Últimas notícias

UOL Cursos Online

Todos os cursos