UOL Viagem

Samuel Rosa

Vocalista do Skank escolhe músicas melódicas e tranqüilas para viajar

Da Redação

Ana Ottoni/Folha Imagem

Playlist de Rosa é repleto de romantismo e melancolia

Samuel Rosa, vocalista e guitarrista do Skank, escolhe músicas melódicas e tranqüilas quando sai de viagem. No seu "playlist", entram as canções doces, tristes e derivadas do britpop de grupos como os ingleses do Keane, os irlandeses do Hal e os escoseses do Travis.

Do Keane, sua música favorita é a "Iron See", do segundo cd. "O primeiro álbum também fez muito sucesso", explica o fã da banda de rock que usa o piano como primeiro instrumento, diferentemente da grande maioria, que usa a guitarra.

Segundo Rosa, todo o primeiro disco do Hal é imperdível, e não se pode selecionar apenas uma faixa.

Já do Travis, que reúne uma levada mais acústica, aliada a letras que podem ir do romântico ao melancólico, a canção que mais aguça seus ouvidos é o hit "Sing", do segundo disco "The Invisible Band". Quando viajaram em turnê para a Europa, em 2001, a música estourava nas rádios da Alemanha e da Holanda. "Era a pedida da época. Cheguei a escutá-la 16 vezes seguidas!", conta.

Entre os artistas brasileiros, o vocalista do Skank destaca "A Via Láctea", canção de Lô Borges de uma época "meio hiponga" e "Vento de Maio", que fala de viagens. Também aprecia o som de um dos reis da Jovem Guarda, Erasmo Carlos. "É ótimo! "A Banda dos Contentes" é a minha preferida. Um grande ídolo", diz.

E se existe um lugar que inspirou Rosa foi a praia de Trancoso, na Bahia, que deu nome até mesmo para uma música que ele fez com o cantor e compositor Arnaldo Antunes. "Essa faixa diz tudo - é para um clima bem praiano", diz. Vocalista do Skank escolhe músicas melódicas e tranqüilas para viajar