Terra de Ozzy Osbourne, Birmingham é uma das mais divertidas cidades da Inglaterra

Mark Vanhoenacker
New York Times Syndicate

Quando se trata de cidades britânicas, Birmingham é, disparado, uma das menos respeitadas. Pergunte a opinião de um londrino e é provável que ou você receba um olhar desnorteado ou uma imitação pouco digna do sotaque local. Grande parte dos turistas também deixa de lado a segunda maior cidade da Inglaterra. Mas com seus bairros de etnia diversificada, urbanização pós-industrial renovadora e um cenário gastronômico invejável, Birmingham não pode mais ser simplesmente ignorada. Bem-vindo à metrópole interiorana da Inglaterra: grande, simpática e divertida.

Sexta

16h00 - Mais canais que...
Birmingham foi o berço da Revolução Industrial, um cenário cheio de fuligem e caldeiras já descrito como "escuro de dia e vermelho à noite". A indústria pesada há muito deixou o centro, mas os canais que transportavam o carvão e toda sua fortuna permanecem lá. Dizem que há mais milhagem aquática ali do que em Veneza. Comece a explorar a área pelo Cube, uma estrutura com jeitão de Lego que abriga lojas, um hotel e vários apartamentos; de lá, siga o canal para o noroeste, passando pelo centro da nova Birmingham, vire à direita no cruzamento do grande canal e passe por incontáveis eclusas e cabines de pedágio. Aí você vai começar a perceber que o "pós-industrial chic" começa a dar lugar ao pós-industrial, puro e simples. Afinal, a recuperação de seus bairros decadentes é um trabalho contínuo.

18h00 - Happy hour
Para um drinque ou dois às margens do canal numa noite fria, vá ao Malt House (75 King Edwards Road; 44-121-633-4171; originalpubco.com), onde o presidente Bill Clinton tomou uma cervejinha (2,60 libras) durante uma cúpula do G8.

20h00 - Sabor da Caxemira
Birmingham tem mais restaurantes estrelados do que qualquer cidade inglesa (perdendo só para Londres, é claro) e, por isso, a alta gastronomia - sem arrogância - faz parte do cardápio. Entretanto, a tradição culinária mais forte da cidade é o Balti, um curry da Caxemira importado e adaptado pelas comunidades sul-asiáticas da cidade. Caminhe pela Ladypool Road, no chamado "Triângulo do Balti", para encontrar um lugar onde saboreá-lo entre as lojas que vendem cópias do Corão e pacotes turísticos para Meca. O Al Frash (186 Ladypool Road; 44-121-753-3120; alfrash.com) tem muitos fãs, embora os taxistas prefiram o frango Karahi (5,50 libras) do Lahore Village (202-208 Ladypool Road; 44-121-766-8477). Poucos restaurantes dessa área vendem bebida alcoólica (alguns permitem que você leve sua própria garrafa, enquanto outros, como o Lahore Village, passam a seco) a menos que você goste de lassi (1,80 libras), uma bebida refrescante que combina iogurte e especiarias.

  • Andrew Testa/The New York Times

    O Al Frash é um dos melhores restaurantes asiáticos da cidade de Birmingham, na Inglaterra

Sábado 

10h00 - Pausa para o cafezinho
Você pode começar o dia no Urban Coffee (The Big Peg, Warstone Lane; 44-121-233-1599; urbancoffee.co.uk), aberto onde até há pouco tempo havia duas joalherias. Com uma filial supermovimentada na Church Street desde 2009, os donos, Simon Jenner e Amir Belkhelladi, abriram a segunda, em continuidade à sua missão de expansão. Com salões espaçosos, decoração clean e muitos pufes, o Urban Coffee é um lugar eclético e cheio de estilo. Experimente o delicioso café com leite (2,50 libras).

11h00 - O brilho de Birmingham
Dos janelões do Urban Coffee dá para ver as centenas de joalherias do incrível Jewellery Quarter. A ourivesaria é uma tradição centenária da cidade e há inúmeras lojas onde é possível encontrar peças para todos os bolsos. Ou siga a Trilha Histórica para ver onde o inventor e engenheiro escocês James Watt viveu e onde Washington Irving escreveu "Rip Van Winkle". Não perca os passeios com guia no Museu da Joalheria (75-79 Vyse St.; 44-121-554-3598; bmag.org.uk/museum-of-the-jewellery-quarter; 4 libras). Quando essa fábrica fechou as portas, em 1981, os funcionários passaram a chave e foram embora, deixando tudo intacto, inclusive o pó de ouro no chão.

13h00 - Hora do chá
Antes de sair do museu, almoce no Tearoom e guarde um lugarzinho para o pão-de-ló vitoriano (1,95 libra), bolo servido com creme e geleia de framboesa que era o favorito da rainha Vitória e, é claro, para o chá (1,40 libra). Se o tempo estiver bom, pode desfrutar do charmoso pátio.

15h00 - O belo jogo
Birmingham fica a um pulinho de Stratford-upon-Avon, cidade natal de Shakespeare, mas não se engane: o futebol é a maior contribuição inglesa à humanidade. Porém, antes de absorver a magia e a energia de uma partida, você tem que encarar o mesmo dilema que, mais cedo ou mais tarde, todo morador de Birmingham enfrenta: torcer para o Aston Villa (Villa Park, Trinity Road; 44-121-327-2299; avfc.co.uk), que conta com o apoio de gente como o príncipe William e Tom Hanks ou para o Birmingham City (St. Andrew's Stadium; 44-844-557-1875; bcfc.com)? A rivalidade entre os dois, que já dura 133 anos, ganhou clima de drama shakespeariano no ano passado, quando o técnico do Birmingham City, Alex McLeish, foi para o Villa.

  • Andrew Testa/The New York Times

    Cheia casas de shows, Birmingham tem se consolidado como grande destino de entretenimento

17h00 - O doce sabor da vitória
Após o jogo, você pode afogar suas mágoas - ou comemorar a vitória - no Fighting Cocks (1 St. Mary's Row; 44-121-449-0811; thefightingcocksmoseley.co.uk) ali ao lado, no bairro de Moseley. Com vitrais nas janelas espalhando a luz do sol do fim de tarde sobre a madeira escura e garçons muito ocupados, é o típico pub inglês. Experimente a cerveja local Pure UBU (3,35 libras), e para provar uma "comida de pub" moderna e de boa qualidade, nem precisa se levantar da banqueta: a torta Wensleydale que leva figo, queijo de cabra, noz pecã e abobrinha grelhada (9 libras) é tão gostosa como parece. Se preferir, vá ao Deolali (23A St. Mary's Row; 44-121-442-2222; deolalirestaurant.com) onde a cozinha anglo-indiana, o serviço simpático e os arredores em estilo Tudor resumem todo o progresso que os restaurantes britânicos fizeram nos últimos anos. Se tiver coragem, peça o carneiro salteado Jalfrazi (9,50 libras ).

21h00 - A terra de Ozzy
Birmingham é a terra natal do heavy metal: foi ali que Ozzy Osbourne e companhia formaram o Black Sabbath no fim dos anos 60. Judas Priest, Robert Plant e John Bonham, do Led Zeppelin, também têm raízes ali. Recentemente, porém, foi a Orquestra Sinfônica, sob a batuta de Simon Rattle desde os anos 80, que elevou a cidade ao reconhecimento clássico. Para ouvir o que há de novo no cenário musical local, vá ao Bull's Head (23 St. Mary's Row; 44-121-256-7777; bullsheadmoseley.co.uk), lotado graças aos shows ao vivo que acontecem quase todas as noites.

Domingo

9h00 - A nova Birmingham
Para ver a extensão da recuperação do centro de Birmingham, comece pela Biblioteca Central Library. Na cidade onde J. R. R. Tolkien passou grande parte de sua juventude, ela é a versão arquitetônica de Mordor. E admire a elegância da estrutura enquanto pode, porque a construção de sua substituta, a Biblioteca de Birmingham, um projeto de 189 milhões de libras, deve ser concluída até 2013. Siga depois pela New Street até o Bull Ring, um centro de compras tão movimentado quanto qualquer outro na Europa. O grande destaque é a Selfridges (44-113-369-8040; selfridges.com), parte loja de departamentos, parte símbolo arquitetônico da Nova Birmingham. Obra arrojada, o exterior de seus quatro andares é decorado com milhares de discos prateados. Nove anos depois de inaugurada, ainda tem jeito futurista.

  • Andrew Testa/The New York Times

    Para ver a extensão da recuperação do centro de Birmingham, visite a Central Library

11h00 - Terapia de compras
Quando finalmente conseguir tirar os olhos da fachada, entre para se deparar com praticamente todas as lojas de grife que há no mundo. Para almoçar, vá à Spiceal Street, um centro de restaurantes que abriu em novembro. Se você conhece Jamie Oliver de seus programas na TV, aqui tem a chance de experimentar seu ossobuco (13,95 libras) no Jamie's Italian (Middle Mall, Bullring Shopping Center; 44-121-270-3610; jamieoliver.com/italian). Se estiver na cidade numa sexta ou sábado, ali perto fica o Rag Market (Edgbaston Street; 44-121-464-8349; ragmarket.com), com suas barraquinhas de roupas em estilo vintage, chapéus e joias.

13h00 - O melhor do domingo
Tome um café sentado num dos bancos da Praça St. Paul's, onde famílias, joalheiros e até padres passeiam em volta da igreja do século XVII e das estruturas de tijolo vermelho que enfeitam esse belíssimo local. É a Inglaterra urbana em toda a sua glória.

  • Andrew Testa/The New York Times

    Se você estiver em Birmingham numa sexta ou sábado, não deixe de visitar o Rag Market, com suas barraquinhas de roupas em estilo vintage, chapéus e joias

Se você for

O Staying Cool (Rotunda, 150 New Street; 44-121-285-1290; stayingcool.com/birmingham) é pertinho da principal estação de trem. O prédio redondo, que nos anos 60 abrigava somente escritórios, foi dividido em "fatias", ou suítes - sendo que cada uma oferece uma bela vista e decoração descolada. Não há carregador nem academia nesse apart-hotel, mas você pode usufruir de um Mac Mini, Wi-Fi gratuito, uma máquina de espresso e de suco (com laranjas). Diárias a partir de 95 libras.

O Bloc Hotel, (St. Paul's, Caroline Street; 44-121-212-1223; blochotels.com) inaugurado no ano passado, oferece 73 quartos minúsculos, mas perfeitos, no centro do Jewellery Quarter - um híbrido entre um hotel boutique exclusivo e um hotel cápsula japonês com preços acessíveis (a partir de 30 libras).

Últimas de Viagem

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos