Apesar do trânsito cada mais vez mais intenso, o Rio de Janeiro é uma urbe fácil de ser explorada, principalmente no centro da cidade e na Zona Sul. Todas as áreas turísticas da capital fluminense são regadas com belíssimas paisagens, fazendo o processo de locomoção pela metrópole ser sempre um agradável passeio. Copacabana, Leme, Leblon e Ipanema com certeza estarão na preferência de hospedagem do turista.

Na falta de vagas ou de um preço de diária justo (os hotéis cariocas estão entre os mais caros do mundo), vale a pena ficar em bairros como Botafogo, Catete ou Glória, que estão relativamente perto da Zona Sul e oferecem boa infraestrututura. E chegar aos pontos turísticos da cidade não será um problema para o forasteiro. Para quem vem de São Paulo, o táxis cariocas parecerão bem em conta e os ônibus locais, apesar de às vezes conduzidos por motoristas que dirigem de forma arriscada, conectam de maneira simples os principais atrativos cariocas. Ipanema, Copacabana, Lapa e Jardim Botânico são alguns dos locais de fácil acesso dentro do Rio.

Por conta dos eventos internacionais que irá sediar, a cidade parece estar mais segura, mas, quando estiver lá, tome as mesmas precauções que seriam necessárias em qualquer grande cidade brasileira: cuidado ao andar com objetos de valor na rua e no transporte público.

Como chegar

De carro

O Rio de Janeiro está praticamente equidistante das outras duas grandes cidades da região Sudeste: fica a 460 km de São Paulo e a 430 km de Belo Horizonte. Da capital paulista, o trajeto mais curto e rápido começa pela rodovia Ayrton Senna (SP-070), onde são percorridos cerca de 120 km, e segue pela rodovia Presidente Dutra (BR-116), para mais 300 km até a avenida Brasil, já no perímetro urbano da capital fluminense. Já da capital mineira, a viagem segue principalmente pela BR-040, passando por cidades como Barbacena, Juiz de Fora e Petrópolis, esta na serra fluminense. A partir de Duque de Caxias, passando a Rampa, siga em perímetro urbano por cerca de 20 km até o centro do Rio.

Avião

Os aeroportos cariocas Santos Dumont e Antônio Carlos Jobim (Galeão) recebem voos regulares das principais cidades do Brasil. TAM, Gol, Avianca e Azul são as grandes companhias aéreas que operam voos para a capital fluminense. Se houver possibilidade, sempre opte por utilizar o aeroporto Santos Dumont, convenientemente localizado no centro da cidade (o aeroporto do Galeão fica na ilha do Governador, distante dos principais hotéis e pontos turísticos do Rio).

Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro - Galeão/Antônio Carlos Jobim
Av. 20 de Janeiro, Ilha do Governador
Tel: (21) 3398-5050
www.aeroportogaleao.net

Aeroporto Santos Dumont
Praça Senador Salgado Filho, Centro
Tel: (21) 3814-7070
www.aeroportosantosdumont.net

Ônibus

O Terminal Rodoviário Novo Rio está localizado ao lado da zona portuária da capital fluminense e oferece fácil acesso aos principais pontos de interesse turístico da cidade. O local recebe ônibus vindos das principais cidades brasileiras e tem boa infraestrutura, como uma ampla praça de alimentação e serviço de informações ao turista. Ao chegar no Rio de ônibus, tome um dos táxis cadastrados que operam (com preços tabelados) ao lado do terminal de desembarque. 

Terminal Rodoviário Novo Rio
Av. Francisco Bicalho, 1, Santo Cristo
Tel: (21) 3213-1800
www.novorio.com.br

Como chegar ao estádio

  • Erica Ramalho/Governo do Rio de Janeiro

    Após quase três anos de reformas, o Maracanã reabriu suas portas em 2013. Sediou os jogos da Copa das Confederações e vai abrigar algumas partidas da Copa do Mundo de 2014

De metrô

Saindo da Zona Sul, pegue o trem linha 1 (General Osório – Saens Peña). Você deve descer em qualquer estação antes da Central do Brasil e esperar na mesma plataforma o trem da linha 2 (Botafogo – Pavuna) e saltar na estação Maracanã. Durante os fins de semana e feriados, se pegar o trem da linha 1, você deve descer na estação Estácio e fazer a transferência para a Linha 2. Saindo da estação, siga à direita.

De ônibus

Há muitas opções de linhas de ônibus saindo da Zona Sul (432, 433, 434 e outras), da Zona Norte (254, 383 e outras) e do centro da cidade (249, 240, 268 e outras). Da Zona Oeste, só há uma opção, a linha 383, saindo de Realengo rumo a Tiradentes.

Como circular pela cidade

Em determinadas ocasiões (como sair para a gandaia à noite), táxis são uma ótima opção para circular no Rio de Janeiro. Nos veículos convencionais (de cor amarela com faixa azul), a bandeirada inicial é de R$ 4,40 e o preço por quilômetro, na bandeira 1, é de R$ 1,60 (aplicado de segunda a sábado, das 6h às 21h). Já o quilômetro rodado na bandeira 2 (em vigência aos domingos, feriados e de segunda a sábado das 21h às 6h), custa R$ 1,92. De acordo com a RioTur, entidade que promove o turismo na capital fluminense, “é autorizada a esses táxis a cobrança antecipada para corridas que partam da Rodoviária Novo Rio e do Aeroporto Internacional Tom Jobim, contanto que eles mantenham um guichê para atendimento prévio ao passageiro”. Caso o taxista faça alguma cobrança indevida ou tenha uma conduta de trabalho que prejudique o cliente, é possível ligar para o número 1746 e fazer uma reclamação.

Os ônibus, por sua vez, também são um meio de transporte interessante no Rio de Janeiro. Há linhas que percorrem avenidas vizinhas das principais praias da Zona Sul (como Copacabana, Ipanema e Leblon) e outras atrações turísticas locais. O ônibus 570, por exemplo, pode ser tomado em Copacabana e vai até Ipanema e o Jardim Botânico. Já a linha 161 passar por Ipanema e vai até a Lapa. E para ir ao trem do Corcovado é possível pegar as linhas 570 e 584. Uma dica: não tente ir de ônibus para os longínquos Barra da Tijuca e Recreio dos Bandeirantes: a viagem será demorada. Se quiser ir até esses locais (onde há praias lindas e mais desertas), divida um táxi com os amigos ou alugue um carro.

O metrô carioca ainda é insuficiente para o tamanho do Rio, mas pode ser uma boa opção para circular entre o centro da cidade e a Zona Sul. O sistema opera das 5h à meia-noite de segunda a sábado, e das 7h às 23h aos domingos e feriados, e tem estações em bairros como Glória, Botafogo, Copacabana e Ipanema. Para mais informações, acesse: www.rioguiaoficial.com.br/rio-de-janeiro/informacoes-turisticas/transportes-urbanos

Qual a melhor época para ir?

O Rio de Janeiro ferve o ano inteiro, mas tem épocas propícias para todos os tipos de público.  De dezembro a fevereiro a cidade vive seu badalado verão, com temperaturas estourando, praias lotadas, festas de Carnaval e hotéis lotados e mais caros do que de costume. Em outras épocas do ano, porém, o visitante pode presenciar interessantes eventos na capital fluminense – e, se der sorte, com um clima mais ameno.

Em abril, por exemplo, a cidade celebra o dia de São Jorge. Em julho, há a maratona da cidade do Rio de Janeiro (e, em 2014, a Copa do Mundo). E em todos os meses haverá tempo adequado para ir à praia e festas disponíveis. Vale lembrar que, se seu objetivo for passar o Réveillon ou o Carnaval na cidade, é necessário fazer reservas hoteleiras com grande antecedência.   

Informações úteis

Sites oficiais

Guia de turismo oficial do Rio: www.rioguiaoficial.com.br

Riotur (entidade responsável em promover o turismo na cidade): www.rio.rj.gov.br/web/riotur/

Portal da prefeitura carioca: www.rio.rj.gov.br/web/guest

Site excelente para encontrar acomodações em conta no Rio: www.camaecafe.com.br

Informações turísticas

Há alguns pontos de informações turísticas espalhados pelo Rio de Janeiro. No último dia 22 de maio, por exemplo, foi inaugurado um quiosque na rua da Candelária, no centro da cidade, que, além de dar informações, vende ingressos para o trem que vai até os pés do Cristo Redentor. Há também postos de informação operando no Aeroporto Internacional Tom Jobim, na Rodoviária Novo Rio, na Praia de Copacabana (há um Avenida Atlântica, em frente à rua Hilário de Gouveia, e outro na Avenida Princesa Isabel) e na Gávea (no 1º piso do Shopping da Gávea).

O que não pode faltar na minha bagagem

O Rio de Janeiro é quente e informal. Na bagagem, não esqueça de levar roupas leves, trajes de banho, chinelos, chapéus ou boné, óculos escuros, canga e muito protetor solar. Para sair à noite, a vestimenta também pode ser despojada.  

Dicas de quem já foi

Atrações

Cidades vizinhas

Últimas notícias



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos